• hikafigueiredo

"A Filha de Satã", de Sidney Hayers, 1962

Filme do dia (221/2017) - "A Filha de Satã", de Sidney Hayers, 1962 - Norman Taylor (Peter Wyngarde) é um bem sucedido professor universitário. Cético, discute em suas aulas o poder da crença nas pessoas. No entanto, o professor terá de rever seus conceitos ao descobrir que sua esposa Tansy (Janet Blair) está envolvida com bruxaria.





Filme gostosinho, embora nada assustador, instiga o espectador a se peguntar - tal qual o personagem Norman - qual a sua crença. Achei interessante a entrada da obra, onde uma narração em "off" cria um clima ao dizer que o filme abre um portal maldito e que será lançado um feitiço para impedir que forças malignas escapem da tela. Ao longo da história, paira a dúvida se a magia de Tansy realmente funcionava, protegendo Norman de seus desafetos ou se tudo não passava de auto-sugestão dos personagens. O filme está mais para um suspense psicológico do que para terror, mas se desenvolve de forma satisfatória e tem um desfecho bem razoável. Tecnicamente é uma obra correta, dentro do esperado para a época em que foi realizado. Destaque para a fotografia P&B bem contrastada, que ajuda a montar a atmosfera de tensão e dúvida. Ah... não é uma graaaande obra, mas dá para divertir os amantes do gênero. PS - O título traduzido é horrendo. O título original é "The Night of the Eagle", mas também é conhecido como "Burn, Witch, Burn"... admito que eu gosto mais do último deles!!!! XD

0 visualização0 comentário