• hikafigueiredo

"Além da Morte", de Niels Arden Oplev, 2017

Filme do dia (170/2020) - "Além da Morte", de Niels Arden Oplev, 2017 - Após ser responsável pela morte de sua irmã mais nova, a jovem Courtney (Ellen Page), estudante de medicina, resolve fazer experimento de quase-morte para tentar descobrir algo sobre o pós-vida. Para tanto, envolve quatro colegas - Marlo (Nina Dobrev), Ray (Diego Luna), Jamie (James Norton) e Sophia (Kiersey Clemons) - nas suas experiências.





O filme, remake da obra "Linha Mortal" (1990), começa como um drama, flerta com o terror, mas tem um desfecho que mais parece filme de autoajuda. É um filme que promete mais do que entrega e que tem alguns buracos no roteiro quase imperdoáveis. Apesar de ter visto o original, não lembro de quase nada da trama, exceto que Kiefer Sutherland e Julia Roberts participavam, então não saberia dizer se o roteiro é fiel ao original. Certo é que esse remake tem alguns bons momentos de tensão - ainda que bem recheados de clichês - mas que se perdem com um encaminhamento um tanto quanto piegas e que abandona, descaradamente, o gênero que seguia até ali. A obra consegue, lá pelo meio do filme, formar uma atmosfera de medo bastante boa, mas não consegue segurar essa onda até o final e para mim, o clímax aconteceu antes do que deveria. O filme tem uma fotografia em frios tons azulados, mas carece de enquadramentos originais e ousados, permanecendo no lugar comum, contribuindo de maneira irregular para a formação da atmosfera de tensão. O uso do som é completamente clichê. É incrível como não caio mais em nenhuma cena de jumpscare, "cantando a bola" de todas antes que aconteçam. Bons efeitos especiais aqui e ali. Acho que o melhor do filme é o elenco, com Ellen Page encabeçando-o como a torturada Courtney. Os demais atores e atrizes estão bem em seu papeis, mas gostei mais da interpretação de Diego Luna como Ray. Kiefer Sutherland faz uma ponta na história como professor do grupo e não diz a que veio. Enfim... é um filme mediano que, se não é deplorável, tampouco pode ser reconhecido como grande obra. Uma coisa é indiscutível - é um filme pouco marcante e facilmente esquecível. Só para fãs do gênero e mesmo assim forçando a amizade.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo