• hikafigueiredo

"Aquarius", de Kleber Mendonça Filho, 2016

Filme do dia (161/2016) - "Aquarius", de Kleber Mendonça Filho, 2016 - Clara (Sônia Braga) é uma mulher entrada em anos. Jornalista aposentada, mãe de três filhos adultos, mora em um confortável apartamento de frente para a Praia de Boa Viagem em Recife. Envolta em lembranças, arraigada naquele espaço, Clara resiste a todas as investidas de uma grande construtora que tenta comprar seu apartamento para demolir o prédio e construir um grande empreendimento no local. É o início de um "tour de force" da empresa para fazer valer sua vontade.





Acabei de chegar do cinema e tenho que dizer: QUE FILME BOOOOOOOM, QUE FILME DO CARALHO!!!! É uma daquelas obras que precisam, devem e merecem ser vistas e revistas várias vezes para, quem sabe, conseguir absorver toda a sua riqueza. Temos muitas discussões em um só filme. Retomando algumas questões do filme anterior do diretor, "O Som ao Redor", temos a contraposição e o convívio do velho com o novo; temos a crítica feroz, cirúrgica e sincera à classe média e aos possuidores do poder e do dinheiro; temos um retrato da cidade de Recife, com suas particularidades. E tudo é tão, mas tão, amarrado, tantas coisas são tão claras, tantas sutilezas saltam aos olhos! Mas é impossível entrar em detalhes sem cair do spoiler, motivo pelo qual vou ter de segurar a onda. Tecnicamente, o filme é impecável - o diretor domina com perfeição a linguagem cinematográfica, cada posição de câmera, cada plano, cada "travelling" é pensado e muito bem executado. A fotografia é belíssima, com enquadramentos ricos e precisos. Destaque para a trilha sonora minuciosamente escolhida e trabalhada. Quanto às atuações, temos uma Sonia Braga arrasando como Clara - forte, resistente, determinada, como tem de ser a luta. Mas merecem destaque outros nomes do elenco: Humberto Carrão, como o sutilmente detestável Diego - sob sua extrema educação, temos o pior das nossas elites, o mais hipócrita, o mais perverso, o mais violento das classes abastadas e dominantes desse país; Maeve Jinkings, como a filha Ana Paula - a imagem da classe média que se julga elite, traíra, fútil; e é óbvio que vou destacar o trabalho de um dos melhores atores nacionais atuais, o maravilhoso Irandhir Santos, no papel do salva vidas Roberval (tá, o papel é menor, mas eu sou fã mesmo e vou falar dele sim! rs). Olha, o filme é de arrasar e é obrigatório. Recomendar é pouco, viu....

1 visualização0 comentário