• hikafigueiredo

"Assunto de Família", de Hirokazu Koreeda, 2018

Filme do dia (12/2019) - "Assunto de Família", de Hirokazu Koreeda, 2018 - Em um pequeno imóvel, vivem a avó (Kirin Kiki), o casal Nobuyo (Sakura Ando) e Osamu (Lily Franky), a jovem Aki (Mayu Matsuoka) e o pequeno Shota (Kairi Jo). A chegada da frágil Yuri (Miyu Sasaki) fará com que os laços de afeto que unem todos fiquem ainda mais fortes.





Há muito tempo que sou fã ardorosa do trabalho do diretor Koreeda. Ele consegue, como poucos, traduzir para a tela questões familiares de toda e qualquer natureza, como podemos ver nas obras "Ninguém pode Saber" (2004), "O que eu mais Desejo" (2011), "Pais e Filhos" (2013) e "Nossa Irmã mais Nova" (2015). Neste filme, Koreeda vai além das questões familiares - família não é aquilo que se estabelece a partir de consanguinidade, mas, sim, o que se forma a partir de laços de afeto e comprometimento. Diria mais: o filme mostra que, em muitas situações, a "família tradicional" é muito mais perniciosa do que acolhedora. A obra, ainda, assume que o amor independe de questões morais, comportamentos socialmente aceitos ou condutas ilibadas - mesmo uma pessoa de atitudes consideradas condenáveis na sociedade pode ser detentora do mais puro afeto por seus semelhantes, pode ser empática, acolhedora e generosa. Aliás, o filme é muito sobre isso - afeto e generosidade. A obra tem início docemente, mas, não se engane, ela também é essencialmente triste e trágica e seu desfecho vai evidenciar isso, deixando um grande peso no coração do espectador. O ritmo da narrativa escapa um pouco do tradicional para filmes orientais, com frequência extremamente lentos - aqui o ritmo é compassado, a ação permeia quase toda a obra e raros são os momentos de contemplação. Por outro lado, a obra é profundamente poética e algumas cenas (como a da praia) são memoráveis pela sensibilidade e doçura evidenciadas. O elenco do filme, por sua vez, é primoroso. Além da maravilhosa veterana Kirin Kiki (que para a minha tristeza faleceu ano passado), a obra traz uma interpretação magnífica de Sakura Ando - o olhar da atriz transborda afeto, seu carinho pela personagem Yuri e pelo companheiro Osamu é tal que ela se sacrifica pelo bem de ambos. Lily Franky também está ótimo como Osamu, sendo, o ator, figura carimbada nos filmes do diretor. E o que falar da garotinha Miyu Sasaki???? Quero ela para mim!!!!!

<3 O filme é maravilhoso, sensível e doce e, na minha humilde opinião, muito merecedor da Palma de Ouro em Cannes, pela qual foi agraciada. Amei e recomendo.

1 visualização0 comentário