top of page
  • hikafigueiredo

"Começo de Primavera", de Yasujiro Ozu, 1956

Filme do dia (39/2020) - "Começo de Primavera", de Yasujiro Ozu, 1956 - Sugiyama (Ryô Ikebe) é casado com Masako (Chikage Awashima) e trabalha como assalariado em uma grande empresa de tijolos. Entediado com sua vida pessoal e profissional, Sugiyama começa um romance com "Peixe Dourado" (Keiko Kishi), uma colega de trabalho, o que trará problemas ao seu casamento.





Com frequência Ozu discorre sobre a vida familiar de seus personagens. Aqui ele novamente trata desse assunto, mas também amplia o leque de temáticas, abarcando, ainda, a questão profissional de Sugiyama e seus amigos. Se, por um lado, o diretor foca na questão do casamento em crise de Sugiyama e Masako, por outro discorre, longamente, sobre a natureza do trabalho corporativo em comparação com o trabalho autônomo, o ambiente do trabalho empresarial, as expectativas decorrentes do tipo de trabalho que os diversos personagens exercem, dentre outras questões, refletindo, evidentemente, um momento de reestruturação do país após a Segunda Guerra e as modificações profissionais decorrentes desta reestruturação. Apesar da inegável qualidade da obra, eu assumo que a achei mais arrastada do que os demais filmes do diretor a que assisti. As inúmeras reuniões de Sugiyama com os amigos me aborreceram um pouco, principalmente porque a obra perdeu, em parte, a característica intimista tão presente nos filmes de Ozu. Outro ponto que não me agradou foi o elenco principal. Tirando trabalho de Chikage Awashima como Masako - que, na minha opinião, foi muito bom, explorando a dor e o orgulho da personagem traída -, as interpretações de Ryô Ikebe e Keiko Kishi deixaram bastante a desejar. Enquanto Keiko Kishi me pareceu por demais "afetada", Ryô Ikebe manteve a exata mesma expressão facial da primeira à última cena da obra, o que me pareceu mesmo só falta de talento e não uma discrição típica do povo japonês. É... dói dizer... mas o filme não me ganhou, mesmo tendo a direção impecável de Ozu. Recomendado somente para fãs indestrutíveis do diretor.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page