• hikafigueiredo

"Custódia", de Xavier Legrand, 2017

Filme do dia (210/2018) - "Custódia", de Xavier Legrand, 2017 - Após se divorciarem, Miriam (Léa Drucker) e Antoine (Denis Menochet) disputam a guarda do filho Julien (Thomas Gioria). Apesar das suspeitas de violência doméstica, fica decidido judicialmente que Antoine terá direito de visita a cada quinze dias.





O filme é um retrato fiel e seco da violência doméstica que persiste após o fim de um relacionamento abusivo. Por mais que Miriam tente se manter afastada do ex-marido, este continua buscando contato e agindo como se a ex-esposa fosse sua propriedade. O espectador intui, desde a primeira cena, que o desenrolar da história caminha para a violência, sem saber, no entanto, quando ela virá e quem será vitimado por ela, motivo pelo qual a tensão é progressiva. O ritmo da narrativa, tal qual a inquietação proporcionada pelo desenrolar da trama, é crescente, "explodindo" no clímax. O roteiro é especialmente bem trabalhado e reproduz, com perfeição, a realidade de casos como o exposto. Além do roteiro amarradíssimo, a força da narrativa também advém de interpretações marcantes de todo o elenco - Léa Drucker, Thomas Gioria e Mathilde Auneveux (esta como a filha Josephine) conseguem transmitir apreensão, medo e um terror contido impressionantes, que, pouco a pouco, dominam o espectador ; já Denis Menochet consegue ser, em certos momentos, sedutor, e, em outros, assustador e monstruoso. Destaque absoluto para a cena da festa e para a cena final, arrebatadora (eu quase morri em apneia, vocês não têm ideia!!!!). Se é bom??? É ótimo!!!! Adorei demais da conta e recomendo para cara***!!!! Mas tomem maracujina antes, tá????

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo