• hikafigueiredo

"Mad Max - Estrada da Fúria", de George Miller, 2015

Filme do dia (212/2016) - "Mad Max - Estrada da Fúria", de George Miller, 2015 - Em um mundo pós-apocalíptico, os humanos sobreviventes lutam pela propriedade do combustível e da água. Max (Tom Hardy) é feito prisioneiro pelo poderoso Immortan Joe, mas acaba conseguindo se libertar com a ajuda da Furiosa (Charlize Theron) e, juntos, iniciam uma jornada para um novo local de liberdade e esperança.





Então, né... o filme, frisson absoluto de 2015, angariou fãs quase tão furiosos quanto a personagem de Charlize Theron. No lado oposto, algumas poucas vozes dissonantes diziam que a obra era uma bomba. Discordo de ambas as posições. Na minha opinião, o filme tem virtudes, mas, definitivamente, não é essa Brastemp toda que os fãs mais ardorosos propagaram. Vamos por partes. A temática geral do filme não é nenhuma novidade, afinal apenas retomou o tema da obra original, além de que filmes pós-apocalípticos existem às dezenas por aí. Mas, algumas nuances do filme certamente surpreenderam, em especial a questão do empoderamento feminino - a personagem forte da história é a Poderosa, ficando, Max, em segundo plano (o que não deve ter agradado nada aos fãs do filme original). Outras questões foram meramente pinceladas, sem qualquer profundidade, como a destruição do meio ambiente e a humanidade transformada em gado, de forma que é até difícil tentar discorrer sobre tais assuntos. Apesar da personagem de destaque ser feminina, é certo que é um filme "100% testosterona", com grau de sensibilidade e sutileza beirando o traço. O roteiro.... bem, os fãs que me perdoem, mas vamos combinar que o roteiro é fraco DEMAIS. Linear, previsível e... constante... Se parar para reparar, tirando perseguições e explosões, não acontece nada no filme... nada MESMO! Por outro lado, a direção de arte, figurinos e maquiagem da obra são excepcionais de bons. O mesmo se aplica à edição de som, aos efeitos sonoros e, lóóóóógico, aos efeitos especiais. Em suma, é um filme visualmente maravilhoso, auditivamente muito bom e com efeitos especiais espetaculares... mas meio que para por aí. Com relação às interpretações, Charlize Theron está perfeita como Furiosa, inclusive ofuscando a interpretação de Tom Hardy, que ficou totalmente apagado na obra. Eu não diria que eu não gostei do filme - eu até gostei, mas, diante da aclamação geral, acho que esperava algo mais, ou, talvez, algo diferente, não sei. Para um filme de gênero totalmente averso ao que eu costumo gostar, até que foi bastante.

0 visualização0 comentário