• hikafigueiredo

"Mandela: Longo Caminho para a Liberdade", de Justin Chadwick, 2013

Filme do dia (98/2020) - "Mandela: Longo Caminho para a Liberdade", de Justin Chadwick, 2013 - A vida de Nelson Mandela (Idris Elba) desde sua infância até ser eleito presidente da África do Sul, depois de passar vinte e sete anos na prisão.





A cinebiografia de Nelson Mandela começa mostrando a aldeia onde ele nasceu, mas rapidamente pula para o início de sua carreira como advogado e seus primeiros passos junto ao CNA - Congresso Nacional Africano, inicialmente um movimento pelo direito dos negros na África do Sul em tempos de apartheid e, depois, partido político que tinha em Mandela seu principal expoente. Acompanhamos a luta de Mandela e de seus companheiros de CNA pelos direitos da população negra, desde sua luta não-violenta, passando pela luta armada, o julgamento de toda a cúpula da CNA, os muitos anos de cárcere do grupo, a adesão de Winnie Mandela ao movimento, a libertação de Mandela e, finalmente, a eleição que levou Mandela ao poder e pôs fim ao apartheid na África do Sul. Como toda cinebiografia, é claro que existe certa romantização em torno da figura histórica de Nelson Mandela, mas até acho que conseguiram não endeusá-lo tanto, mostrando uma atitude pouco leal dele para com sua primeira esposa e certo fracasso na sua vida pessoal, de forma que ele ganhou contornos bastante humanos. Obviamente o tema é importantíssimo, pois mostra a mais importante luta que já houve contra o racismo na forma do regime do apartheid. Confesso que fiquei arrepiada em várias cenas do filme ao ver toda uma população unida e lutando por seus ideias de justiça e liberdade, então afirmo que é uma obra bastante emocionante e cheia de força e vitalidade. Gostei como colocaram, em alguns momentos, fragmentos de filmagens de manifestações reais, dando uma noção de quão terrível foi aquele período da África do Sul. Destaque para a direção de arte de época e para a trilha sonora que inclui a música "Ordinary Love", do U2, ganhadora do Globo de Ouro de Melhor Canção Original. Idris Elba (ô, deus de ébano!!!!) está perfeito como Nelson Mandela, consegue transmitir toda a força e determinação do líder sul-africano e convence quando interpreta Mandela já bem idoso; Naomie Harris interpreta Winnie, num ótimo trabalho (gostei de terem dado destaque para o papel de Winnie junto à luta contra o apartheid, ainda que tenham polarizado demais a relação de Winnie e Mandela após a libertação dele), ainda mais se considerarmos a complexidade da personagem, que precisou endurecer muito para suportar as provações pela qual teve de passar ao longo de sua vida. Eu curti bastante o filme, até pela importância do assunto, mas não só por isso. Recomendo.

1 visualização0 comentário