• hikafigueiredo

"Mudança de Hábito", de Emile Ardolino, 1992

Filme do dia (99/2018) - "Mudança de Hábito", de Emile Ardolino, 1992 - Quando a cantora Deloris (Whoopi Goldberg) presencia um assassinato e passa a ser perseguida pelo assassino, seu amante, o gângster Vince LaRocca (Harvey Keitel), ela se refugia em um convento sob a direção de uma rígida Madre Superiora (Maggie Smith), fazendo se passar por uma freira. Mas, seu trabalho à frente do coro da igreja poderá revelar ao assassino sua localização.





Siiiiiiim, esse filme era uma dessas obras que passavam todos os dias na televisão. Mas, acreditem, minha filha mais velha jamais o havia visto, motivo pelo qual resolvi apresentá-lo a ela. O filme segue uma linha que fez muito sucesso nas décadas de 80 e 90 - o de filmes para adolescentes. Com uma história simples e um humor inocente, a obra deve ter sido pensada para atingir, principalmente, um público na faixa dos 12 aos 18 anos - e acredito que fez isso com relativo sucesso. A narrativa é linear e cronológica, o formato é o mais tradicional possível. Tecnicamente, o filme é padrão médio Estados Unidos, colocando "todas as suas fichas" no elenco de peso: Whoopi Goldberg certamente foi escalada para explorar seu talento cômico após o sucesso de sua atuação em de "Ghost - O Outro Lado da Vida" (1987), e temos que admitir que ela é ótima nesse tipo de papel; Harvey Keitel resolveu tirar 1992 para interpretar contraventores e assassinos, já que no mesmo ano atuou no fantástico "Cães de Aluguel", comprovando toda a sua competência; e Maggie Smith é dessas atrizes que dispensam apresentações e todo e qualquer elogio é pleonasmo - ela é sempre ótima. No elenco, ainda, a simpática Kathy Najimy como irmã Mary Patrick. Coroando o elenco estrelado, uma trilha sonora razoável e agradável (até mesmo nas músicas "religiosas"). A obra é suuuuper bobinha, mas cumpre o que promete - entretenimento leve para a família toda. Se é isso que você procura, pode ir em frente.

0 visualização0 comentário