• hikafigueiredo

"O Esqueleto da Sra. Morales", de Rogelio A. González, 1960

Filme do dia (436/2020) - "O Esqueleto da Sra. Morales", de Rogelio A. González, 1960 - Pablo Morales (Arturo de Córdova) é um taxidermista gentil e boa praça que vive um casamento infeliz com a dissimulada Gloria (Amparo Rivelles). Acuado pelas mentiras da esposa, ele planeja um crime perfeito.





Ainda que esteja em um box de filmes de terror, eu jamais classificaria esta obra neste gênero. Muito mais próximo da comédia de humor ácido, o filme leva até o mais pacífico espectador a torcer para que o protagonista dê um fim à sua insuportável esposa (e aqui, um parênteses: entendo que o filme trabalha um tema sensível para um país cujos índices de feminicídio estão entre os mais altos do planeta; também compreendo que, para muitas mulheres, a obra pode até ser gatilho para sentimentos desagradáveis, desaconselhando-a, inclusive, para quem tenha maior sensibilidade à questão). E é com base nessa expectativa do público que se constrói, extremamente bem, a narrativa. O roteiro é habilidoso em criar empatia pelo Doutor Morales e total aversão à Gloria, motivo pelo qual utiliza muito tempo para caracterizar os personagens. A narrativa é linear e, o ritmo, bem marcado. A atmosfera tem algo de lúgubre e ganha tintas oníricas graças ao trabalho da fotografia, muito contrastada e fazendo uso de vários planos de detalhe e primeiríssimos planos. A direção de arte também colabora para que a casa do Dr. Morales - repleta de animais empalhados, esqueletos e maquetes sinistras - tenha certo ar de pesadelo, criando um interessante contraste com a personalidade bonachona do protagonista. Talvez o filme não fosse tão simpático não fosse a interpretação de Arturo de Córdova , que nos premia com um personagem verdadeiramente adorável; e, provavelmente, acharíamos o desenrolar da história infame e revoltante, não fosse a atuação de Amparo Rivelles como a intragável, manipuladora e cruel Gloria. A obra, por mais politicamente incorreta que seja, é deliciosa, muito envolvente e bastante divertida. Eu adorei e recomendo, com as ressalvas já mencionadas.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo