• hikafigueiredo

"O Mistério de Candyman", de Bernard Rose, 1992

Filme do dia (41/2018) - "O Mistério de Candyman", de Bernard Rose, 1992 - A pesquisadora Helen Lyle (Virginia Madsen) estava desenvolvendo uma tese sobre lendas contemporâneas, quando se deparou com relatos sobre um ser fantástico - o Candyman - criatura responsável por vários assassinatos ocorridos em um conjunto habitacional. Incrédula e fascinada pela história, Helen invoca o Candyman.





Filme baseado em um conto de Clive Barker, a história segue a linha padrão do "assassino em série", trilhando os mesmos passos de "A Hora do Pesadelo", "Sexta-Feira 13", "Halloween" e "Pânico". A narrativa até que é bem construída, considerando as limitações do gênero e alguns "furos" do roteiro (em especial aqueles ligados à criança Anthony). O filme é hábil em criar tensão - as cenas de Helen no conjunto habitacional são bastante tensas. Apesar de acontecerem vários assassinatos e, portanto, ocorrer farta distribuição de sangue, a obra não é "gore" (não há cenas explícitas tão ao gosto do "gore"). O desfecho é previsível, mas bem aceitável. A trilha sonora é - pasmem! - de ninguém menos que Philip Glass (mas, para variar e confirmar minha "surdez cinematográfica", nem registrei direito a trilha sonora...). A atriz Virginia Madsen interpreta com segurança a personagem Helen, mas achei Tony Todd como Candyman bem mais interessante. O filme é consistente (mais uma vez, dentro das possibilidades) e vai agradar quem gosta desse gênero específico. Incrível não ter virado franquia...

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo