• hikafigueiredo

"O Pacto", de Sion Sono, 2001

Filme do dia (243/2017) - "O Pacto", de Sion Sono, 2001 - No Japão, uma onda de suicídios vem intrigando uma equipe policial que passa a investigar o caso.





Os filmes de terror orientais são conhecidos por serem perturbadores e esse aqui não poderia ser diferente. Mas, enquanto outras obras conhecidas seguem a linha do sobrenatural, essa apoia-se no suspense e no horror para cativar (?) o espectador. A cena inicial da obra é famosa, comum no meio de grupos e fóruns de cinema e mostra o suicídio de dezenas de estudantes que se jogam na linha do trem. Fiquei curiosa e quis ver o restante da história... poucas vezes na vida tive uma certeza tão profunda de ter perdido horas de existência à toa. Eu detestei o filme. Primeiro, porque é gore e eu odeio filmes gore; segundo, porque não tem pé nem cabeça, o roteiro é mambembe e o desfecho não diz a que veio; e terceiro, porque finge fazer uma crítica à sociedade japonesa, tenta dar um ar de profundidade em si próprio, levando-se mais à sério do que seria suportável e, no final das contas, é raso feito um pires. Okay, até tem bons momentos de suspense (na verdade, só curti duas cenas: a dos adolescentes no alto do prédio da escola e dos policiais na expectativa de um novo suicídio em massa na estação de trem), mas eles se perdem no meio da baboseira toda que os precedem. Espere por baldes e baldes de sangue, mutilações, assassinatos, estupros e tortura - puxa, que filme bacanudo, não??? (ironia mode on). Lógico que, com esse perfil, não dá para esperar bons quesitos técnicos e muito menos boas atuações, é tudo uma grande porcaria. E aos amantes do gore, nem venham me dizer que o filme é um portento que não é - é só uma grande bosta para adolescente problemático praticar masturbação. Lixo, nem sei o que fazer do DVD. Recomendo que corram sem olhar para trás.

13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo