• hikafigueiredo

"O Tempo que Resta", de François Ozon, 2005

Filme do dia (27/2016) - "O Tempo que Resta", de François Ozon, 2005 - Romain (Melvin Poupaud), um renomado fotógrafo de moda, desmaia em uma sessão de fotos e é levado a um hospital. Assim descobre que tem um câncer em estado terminal e terá de aprender a lidar com a proximidade de sua morte prematura.





Filme delicado sobre morte, despedida e paz de espírito, esta obra é, evidentemente, um bocado depressiva. Apesar da ideia ser justamente a busca do equilíbrio antes da partida, inevitável sentir o peso dos acontecimentos. É, ainda, um filme um pouco silencioso, montado a partir de memórias e estados de espírito do personagem Romain. O ator Melvin Poupaud (lindinho, diga-se de passagem) interpreta com sensibilidade o papel e se no começo Romain mostra-se revoltado, confrontando, atacando e sendo cruel com seus familiares e companheiro, ao final, já conformado, permite-se aproveitar pequenos prazeres e até sorrir - e Poupaud transmite muito bem esses estados de espírito do personagem. O ritmo é lento e não possui um clímax - posso dizer que é um filme que divaga sobre o assunto...Olha, não é nenhum obra prima, mas não é ruim. Recomendo se você curte filmes franceses intimistas.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo