top of page
  • hikafigueiredo

"Redentor", de Claudio Torres, 2004

Filme do dia (233/2017) - "Redentor", de Claudio Torres, 2004 - Célio (Pedro Cardoso) é um jornalista que está cobrindo as notícias acerca de um antigo amigo de infância e desafeto, o milionário Otávio (Miguel Falabella). Na intenção de resolver suas pendências pessoais, Célio acabará se envolvendo em um jogo de interesses e corrupção encabeçada pelo ex-amigo.





Ouvi muitos amigos elogiando a obra e resolvi conferir. Não me agradou. Não que não tenha algumas qualidades - para um filme ser um desastre total e retumbante precisa fazer força, hein! - mas as coisas que me desagradaram suplantaram as que eu curti. Para começar, as mensagens embutidas na obra, quase subliminares, entram em choque com as minhas ideias - são mensagens perversas, excludentes e manipuladoras. A velha ladainha da salvação "do povo" (aqui representado pelos moradores de uma favela) pelas mãos de um "salvador da pátria" (aquela pessoa que, por mais podres que tivesse no currículo, se redimiu e assumiu uma verdadeira cruzada para salvar seu povo desvalido - e aqui representado pelo personagem Célio), quase um homem santo, com referência direta às concepções cristãs (milagres e a imagem do "redentor") me é extremamente desagradável. A cena em que um personagem conclui que a riqueza que existe não é suficiente para "dividir com todo mundo" também me irritou demais, tendo em vista que tudo que existe naquele micro cosmo pode ser expandido para o país e o argumento é evidentemente pró concentração de riquezas. Tirando essas questões filosóficas e ideológicas conflitantes com as minhas concepções, ainda tem os resultados formais que não me convenceram - a estética da obra me remeteu demais da conta às novelas globais, o que, por princípio, já me desagrada. Aliás, o filme "cheira" Globo Filmes, que é tudo que eu não curto no cinema nacional. Quanto aos pontos positivos, temos um roteiro intrincado, original e bem desenvolvido; temos uma direção competente nas mãos de Cláudio Torres (a família é toda talentosa, não?); temos bons atores e interpretações ótimas, com destaque para Pedro Cardoso, Miguel Falabella e Fernando Torres,e ainda no elenco, Fernanda Montenegro, Stênio Garcia, Camila Pitanga, Lúcio Mauro, dentre outros. Okay, entendo que o filme tenha agradado a vários amigos, porque ele não é ruim, mas eu, euzinha, não curti. Se quiser ver, é por sua conta e risco...

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page