• hikafigueiredo

"Refém da Paixão", de Jason Reitman, 2013

Filme do dia (160/2017) - "Refém da Paixão", de Jason Reitman, 2013 - Adele (Kate Winslet) é uma dona de casa solitária e deprimida.Vivendo com seu filho Henry (Gattlin Griffith), de treze anos, praticamente reclusa, certo dia ela se depara com Frank (Josh Brolin), um fugitivo da prisão que a faz refém. Mas a personalidade de Frank a surpreenderá.





Nesse romance com ares de drama (ou seria o contrário?), temos uma situação inverossímil entre os personagens, mas, para o público que conseguir abstrair esse detalhe, o filme pode ser uma grata surpresa. As histórias de Adele e Frank são narradas com delicadeza e a aversão inicial por Frank cederá lugar, paulatinamente, a certa simpatia pelo personagem. Sim, eu sei, as qualidades apresentadas por Frank são inacreditáveis, mas, na hipótese de existirem em alguém, tornam-no, realmente, excepcional. A narrativa se passa, praticamente, em três tempos: o presente, através de uma narrativa em "off" de Henry, já adulto; o tempo passado relativo à narração de Henry e o momento de encontro inicial entre Frank e Adele; e as memórias do casal relativos aos seus dramas passados e que os tornaram o que são - essa divisão pode parecer confusa, mas está bem encaixada e equilibrada. Parte técnica é padrão, sem grandes destaques, mas sem defeitos tampouco. O melhor do filme, com certeza, é a interpretação da sempre maravilhosa Kate Winslet - ela é boa demais, não deixa a peteca cair; Josh Brolin também está bem e dá credibilidade ao seu Frank. No elenco, em pequenas pontas, Tobey Maguirre e J.K. Simmons (não, não estamos no "O Homem Aranha"... rsrsrsrs). É uma obra razoável, que conseguiu me prender apesar do gênero normalmente não me arrebatar. Quem gosta de romance, certamente vai gostar.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo