• hikafigueiredo

"Riscado", de Gustavo Pizzi, 2010

Filme do dia (63/2020) - "Riscado", de Gustavo Pizzi, 2010 - Bianca (Karine Teles) é uma talentosa atriz cuja carreira encontra-se estagnada. Vivendo de bicos, a grande chance parece ter chegado ao ser escolhida como protagonista de uma produção cinematográfica internacional.





A obra trata das dificuldades encontradas pelos profissionais da cultura, em especial atores e atrizes em início de carreira. Mostra-se que o sucesso alcançado por artistas - e isso vale para qualquer ramo da arte e da cultura - independe de seu talento e vale-se, muito mais, de contatos ou, puramente, sorte. Também mostra como o caminho da sobrevivência nesta área inclui engolir sapos de todas as espécies e relevar maus tratos e humilhações diversas - é, o caminho é árduo e muitas vezes não chega a lugar algum. A obra, também, tem uma pegada metalinguística pois se trata, em parte, de um filme dentro de um filme. É bacana como o diretor utiliza pequenos trechos de filmagens amadoras, daquelas feitas por câmeras digitais comuns, como mostra dos exercícios produzidos pela personagem Bianca. Aliás, aqui estão os maiores méritos da obra - o carisma da personagem Bianca, que tenta levar com dignidade e profissionalismo qualquer trabalho onde possa interpretar uma personagem, ainda que seja entregando panfletos ou participando de eventos promocionais; e, evidentemente, o taleto da atriz Karine Teles, sempre magnífica e que, aqui, também assina o roteiro em conjunto com o diretor (aparentemente ocorreu no filme real, o que acontece na obra dentro do filme - o diretor aproveita a experiência da atriz para criar e moldar a personagem). Pelo papel, Karine Teles ganhou prêmio de melhor atriz nos Festivais do Rio e de Gramado em 2010. O filme também foi o grande premiado em Gramado naquele ano. Destaque para as cenas onde Bianca coloca roupas no varal durante o por do sol - não sei porquê, mas as imagens me despertaram uma profunda melancolia; e para a cena da filmagem da Carmem Miranda (sem spoilers). Filme bem bacana, do mesmo diretor de "Benzinho" (2018). Recomendo com carinho.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo