• hikafigueiredo

"Sócios no Amor", de Ernst Lubitsch, 1933

Filme do dia (28/2020) - "Sócios no Amor", de Ernst Lubitsch, 1933 - Em uma viagem de trem pela França, os amigos George (Gary Cooper) e Tom (Fredric March) conhecem a divertida Gilda (MIriam Hopkins) e ambos se apaixonam por ela. O problema é que a moça também se apaixona... pelos dois. E ela não sabe quem escolher.





Nessa deliciosa comédia com toques picantes, temos uma mostra de quanto o mundo ficou mais careta e intolerante depois da Segunda Guerra. O divertido filme discorre, com a maior naturalidade, acerca de um triângulo amoroso formado pelos protagonistas. Não que não haja arroubos de ciúmes e o desejo de ser único por parte dos personagens - não chegaram a naturalizar o trisal na obra -, mas é fato que a ideia da personagem Gilda ser "bem íntima" dos demais não causou um décimo do que teria causado anos depois. Com muita naturalidade, Gilda admite que ama os dois personagens e não quer nem vai escolher apenas um - e deste argumento segue a história. O filme é bonitinho, ágil e tem ótimos diálogos. A construção dos personagens também é excelente, em especial Gilda, extremamente livre nas suas ações. Gostei bastante da interpretação do trio - Gary Cooper dispensa apresentações e mostrou uma veia cômica repetida posteriormente em "O Galante Mr. Deeds" (1936); Fredric March - ator que eu ainda não conhecia - também apostou no talento para a comédia e se saiu muito bem, da mesma forma que Miriam Hopkins (que eu, igualmente, não conhecia). Filminho levinho e gostoso, ótimo para exorcizar um pouco a leva de filmes pesados a que assisti no dia anterior (e já estou pronta para mais desgraceiras rs). Recomendo para quem quer algo bem "light".

4 visualizações0 comentário