• hikafigueiredo

"Sintomas", de José Ramón Larraz, 1976

Filme do dia (196/2018) - "Sintomas", de José Ramón Larraz, 1976 - Anne (Lorna Heilbron) viaja com a amiga Helen (Angela Pleasence), para a casa de campo da última. Rapidamente, Anne percebe que há alguma coisa estranha no local e com a amiga, que passa a ter um comportamento obsessivo em relação a ela.





Acho que seria demais esperar que todos os filmes do box 7 do "Obras-Primas do Terror" acompanhassem a qualidade de "Os Inocentes" e "Kairo" - esperança vã, que caiu por terra logo no quarto filme. Admito que "Sintomas" começa bem, cria tensão, faz o espectador criar teorias e buscar explicações e... falha miseravelmente no fim da história. A impressão que eu fiquei é que, após construir uma super atmosfera de inquietação, inclusive com a cena do sótão, perfeita no quesito de tensão, e na cena imediatamente posterior, do quarto, que abre algumas sugestões bacanas, o diretor não soube como terminar o filme e assumiu o óbvio, o resultado mais sem graça possível. Até a construção do roteiro me pareceu bem falha: após chegar ao clímax máximo - na minha humilde opinião, antes do que deveria - o filme tem mais duas cenas de tensão menores, tirando toda a força da cena principal, quebrando totalmente o ritmo tão bem construído até ali. A obra terminou e eu fiquei com um gosto amargo de frustração na boca. Os méritos do filme residem na formação da atmosfera de medo ao longo dos primeiros 60 minutos, na construção das personagens principais, que me agradou bastante - Anne tem a aparência de uma moça descolada, equilibrada e bem resolvida, enquanto Helen, desde o começo, parece mais frágil e, paulatinamente, mostra ser mais dependente e problemática -, e no elenco, em especial na interpretação de Angela Pleasence - que "fucking" cara de maluca que a atriz conseguiu criar, eu corria dali no primeiro dia!!!! É... filme meia boca, tem bem melhores.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo