• hikafigueiredo

"A Casa da Noite Eterna", de John Hough, 1973

Filme do dia (256/2017) - "A Casa da Noite Eterna", de John Hough, 1973 - Um físico especialista em parapsicologia, sua esposa, uma médium e um homem com poderes paranormais são enviados a Hell House, uma conhecida casa mal-assombrada. Lá tentarão descobrir os segredos do lugar.





Com quase o mesmo argumento do excepcional "Desafio do Além", realizado dez anos antes, a obra consegue um resultado impressionantemente diferente, mas igualmente bom. Ambos os filmes apostam no terror psicológico, mas, enquanto o primeiro joga suas fichas na dúvida acerca do estado emocional de uma das personagens, este aqui envereda por uma batalha feroz entre a crença e o total ceticismo, com a polarização entre a médium e o cientista, cada qual tentando provar seu ponto de vista. O roteiro é muito bem desenvolvido e, ao contrário da maior parte dos filmes de terror, tem um ótimo desfecho. Não espere uma profusão de cenas de "jumpscare", apesar de existirem uma ou duas cenas com essa característica - o forte aqui é a atmosfera pesada, a tensão que vem antes de cada novo movimento dos personagens. Sendo, ainda, um filme do início da década de 70, também não espere bons efeitos especiais - apesar de pouquíssimos, eles são bem fracos. Quanto às interpretações, gostei de Clive Revill como o cético Dr. Barrett, mas ainda prefiro Roddy McDowall no papel de Fischer, o paranormal sobrevivente a outra incursão à casa. O filme é bem bacana e deve agradar os amantes do gênero, principalmente quem não curte a atual onda de filmes de terror baseado em sustos ou de tendência "gore". Recomendo de boas.

2 visualizações0 comentário