• hikafigueiredo

"Cosmópolis", de David Cronemberg, 2012

Filme do dia (137/2015) - "Cosmópolis", de David Cronemberg, 2012 - Em uma Nova Iorque caótica por conta de manifestações anticapitalistas, o jovem e egocêntrico milionário financeiro Eric Packer (Robert Pattinson) tenta atravessar a cidade em sua limousine para cortar o cabelo em seu barbeiro pessoal, ao mesmo tempo em que seu império desmorona.





O filme é uma óbvia crítica ao capitalismo, à velocidade das ascensões e quedas de impérios financeiros e à imaturidade e vazio existencial dos que ascendem muito jovens. O personagem principal, apático, busca com avidez novas sensações e emoções, mesmo que isso signifique agir de forma imoral ou que coloque em risco sua integridade física e até sua vida. Envolto em relações superficiais, vazias, inúteis e por interesse, Packer parece absorvido pelo total niilismo e mesmo a derrocada de seu poder e riqueza parecem pouco importar para o jovem. O filme, certamente, exige um pouco mais de filosofia, mas, mesmo sem grande análises, é uma obra interessante e crítica. Gostei do clima soturno e apocalíptico que permeia todo o filme. Por outro lado, apesar da apatia do personagem ser intencional, ainda assim achei a atuação de Pattinson bem "marromenos", ele tem a expressão de uma lata de ervilha (sendo destratada por uma legião de fãs em 3, 2, 1...). A obra conta com interessantes incursões de atores talentosos como Juliette Binoche, Samantha Morton e o queridíssimo Paul Giamatti - todos colocando Pattinson no chinelo. É um filme legal, mas não é para todos os gostos e acho que muita gente vai achá-lo arrastado e pretensioso.

0 visualização0 comentário