top of page
  • hikafigueiredo

“Divertidamente 2”, de Kelsey Mann, 2024

Filme do dia (68/2024) - “Divertidamente 2”, de Kelsey Mann, 2024 – Rilley chega aos treze anos e, com eles, a tão aguardada e temida adolescência. Prestes a entrar no ensino médio, Rilley terá de lidar com muitas novidades e com emoções até então desconhecidas.





Vou fazer uma confissão que, possivelmente, fará com quem meus parcos leitores deixem de me ler instantaneamente, mas não consigo mentir: eu detesto “Divertidamente” (2015). Não sei se eu estava num mau dia quando o assisti, mas é certo que eu achei o filme de uma chatice atroz, muito por conta da personagem Tristeza, que faz coisas sem sentido o tempo inteiro, naquela lamúria sem fim. Acho o argumento da animação perfeito, mas o desenvolvimento do roteiro bem meia-boca. Por conta deste não gostar, eu havia decidido não ver a segunda animação da série, mas, por conta da opinião das minhas filhas – as quais adoraram “Divertidamente 2” – resolvi dar uma chance à obra. Pois foi uma decisão para lá de acertada – “Divertidamente 2” é uma animação ótima, com um roteiro amarradíssimo e que consegue a raridade de ser melhor que o original. Se em “Divertidamente” acompanhamos a personagem Rilley com onze anos em um claro processo depressivo – cuja causa não me convenceu -, em “Divertidamente 2” a encontramos com treze anos e entrando na adolescência e, portanto, com toda aquela ebulição emocional que faz parte do momento. Na minha opinião, o “plot” da obra é infinitamente superior e muito mais crível e adequado que o do filme anterior. O surgimento de novas emoções, a confusão de sentimentos, a montanha-russa emocional da adolescência, tudo é perfeitamente abordado no filme, sem pieguices e sem exageros – “vi” minha filha adolescente em várias passagens, o que tornou a narrativa muito mais interessante e convincente. Achei o ritmo do filme bem adequado, diferentemente do original que, para mim, é arrastado demais para uma obra voltada para crianças. Gostei também da inclusão das novas emoções, em especial da personagem Ansiedade, otimamente trabalhada na narrativa. Aliás, das novas emoções só tenho críticas à Inveja, totalmente desnecessária à trama (poderia ter sido muito mais bem aproveitada). Gostaria de ter visto a animação com a dublagem original, que traz gente boa como Amy Poehler (Alegria), Adèle Exarchopoulos (Tédio), Maya Hawke (Ansiedade), mas não nego que a dublagem brasileira está absolutamente perfeita e também traz intérpretes ótimos como Miá Mello (Alegria), Katiuscia Canoro (Tristeza), Leo Jaime (Raiva), Tatá Werneck (Ansiedade), Dani Calabresa (Nojinho), dentre outros. É uma animação que vai agradar desde as crianças menores até adultos. Destaque para a passagem da Raiva com a pochete – hilária!!! Resumo: eu adorei e deu até vontade de rever o original para eu tirar a dúvida se eu só estava num mau dia. Recomendo muito! Está hoje nos cinemas, circuito comercial.

2 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page