• hikafigueiredo

"Kolya - Uma Lição de Amor", de Jan Sverak, 1996

Filme do dia (198/2017) - "Kolya - Uma Lição de Amor", de Jan Sverak, 1996 - Praga, 1988. Durante a decorrada do regime socialista da Tchecoslováquia, o violoncelista Louka (Zdeněk Svěrák) encontra-se atolado em dívidas. Cinquentão e solteiro convicto, Louka aceita fazer um casamento de fachada com uma jovem russa que busca cidadania tcheca. Ocorre que, após o casamento, a moça migra para a Alemanha, deixando, para Louka, Kolya (Andrey Khalimon), seu filho de cinco anos. A convivência com a criança modificará para sempre a vida do egoísta Louka.





Vencedor do Oscar de melhor filme estrangeiro e do Globo de Ouro da mesma categoria, o filme caracteriza-se pela sensibilidade e por bem pouco não resvala na pieguice. A história centra-se na transformação de Louka, de homem de meia idade mais preocupado com sexo casual do que com qualquer outra coisa em um homem responsável e sério, pela proximidade com o pequeno e amoroso Kolya. Essa modificação ocorre paulatinamente e não de forma abrupta, sendo bem retratada na obra. O roteiro é bem linear, mas me incomodou o abandono de certas "linhas" da história, em especial a questão da polícia que, subitamente, é colocada de lado (achei isso meio furado), assim como o sumiço de alguns personagens. O excesso de meiguice, felicidade e sensibilidade me incomodou um pouco, eu curto mais dramas "pesados". Gostei da interpretação de Zdeněk Svěrák - Louka vai de babaca crônico a um homem de respeito, sem saltos. Quanto ao pequeno Andrey Khalimon, ele é um fofo, dá vontade de levar para casa!!!! O filme é bonitinho, ainda que eu não ache tão bom assim para ganhar Oscar de Filme Estrangeiro. Indicado para quem gosta de filmes fofos e edificantes.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo