• hikafigueiredo

"O Balão Branco", de Jafar Panahi, 1995

Filme do dia (156/2017) - "O Balão Branco", de Jafar Panahi, 1995 - Em Teerã, a pequena Razieh sonha em comprar um peixinho, tradição no Ano Novo local. Após muita insistência, sua mãe lhe entrega uma nota de 500 riais, mas a adverte que só poderá gastar 100 riais, devendo trazer o troco. Mas muitos serão os obstáculos até a loja de peixes.





Com um roteiro extremamente simples, repleto de situações corriqueiras, passíveis de acontecer com qualquer criança, em qualquer parte do mundo, o diretor consegue fazer um filme tenso, angustiante e com um final catártico. É tudo tão banal, mas, aos olhos da pequena Razieh, tudo toma uma proporção tão trágica, que é impossível não se inquietar com os acontecimentos e a frustração e sofrimento da menina. Além disso, o tema explorado é de tal universalidade - os receios, desejos, ansiedades, enfim, a vivência da infância - que qualquer espectador consegue se reconhecer na pele de Razieh. Tudo se passa em tempo real e linear - são, aproximadamente, 85 minutos de apreensão, sempre pelos olhos da menininha e de seu irmão um pouco mais velho. Tudo ocorre, ainda, entre a casa das crianças e a loja de peixes e vários são os encontros e desencontros com outros personagens secundários, gerando os mais diversos sentimentos. Considerando a simplicidade da narrativa, achei a obra genial - pô, fácil fazer um filme razoável com um roteiro cheio de ideias extravagantes e efeitos especiais, vai fazer um filme bom com uma situação cotidiana qualquer !!!! Eu simplesmente amei a obra de ponta a ponta!!!!! E eu queria a Razieh para mim, uma fofa (a atrizinha mirim mandou muito bem!!!!). Filme excelente, recomendo com prazer.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo