• hikafigueiredo

"O Grande Motim", de Lewis Milestone, 1962

Filme do dia (187/2017) - "O Grande Motim", de Lewis Milestone, 1962 - Em 1787, o navio Bounty parte da Inglaterra para uma missão no Taiti. Rapidamente os métodos cruéis e tirânicos do capitão William Bligh (Trevor Howard) ficam evidentes e, após presenciar inúmeras situações de injustiça, o Primeiro-Oficial Fletcher Christian (Marlon Brando) se unirá à parte da tripulação, amotinando-se contra o sanguinário capitão.





Baseado em uma história real, essa refilmagem teve a ingrata missão de suplantar - ou, pelo menos, equiparar-se - à obra realizada em 1935. Sorry, mas nem a presença de Marlon Brando foi suficiente para que o filme superasse o filme de 1935. Certamente, há diferenças marcantes nas duas obras - enquanto o filme de 1935 foca, majoritariamente, no motim e na figura do terrível capitão Bligh, a obra de 1962 tem em Fletcher seu cerne, inclusive dando um destaque excessivo (e, na minha opinião, desnecessário) ao romance do oficial com a taitiana Maimiti (Tarita Teriipaia). Os roteiros também desenvolvem-se de maneiras diversas e achei que a obra de 1962 se perde lá pelas tantas (para quê a cena do tribunal dizendo que vai perseguir o Bounty se isso não leva a lugar algum?). São filmes bem diferentes, mas, o anterior é, definitivamente, muito mais legal e envolvente. Trevor Howard não se sai mal como Capitão Bligh, mas não chega nem perto da atuação de Charles Laughton em 1935 (o homem era um monstro, um dos melhores atores de todos os tempos, fascinante!!!!). Marlon Brando é Marlon Brando, okay. Ele deposita uma carga dramática maior, uma coisa mais visceral, em seu Fletcher, diferentemente de Clark Gable. Mas gostei mais do Clark Gable no papel do que dele!!!!! Na verdade, o filme se apoia demais em Brando e acaba deixando um pouco a desejar. Não é ruim. Mas o de 1935 é melhor, sem dúvidas.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo