• hikafigueiredo

"O Homem que Não Dormia", Edgard Navarro, 2012

Filme do dia (56/2017) - "O Homem que Não Dormia", Edgard Navarro, 2012 - Em um povoado perdido no meio da Bahia, nos arredores da Chapada Diamantina, os habitantes vivem suas existências hipócritas, maledicentes, atormentadas. Subitamente, cinco moradores são acometidos de um mesmo sonho estranho, com um homem desconhecido, o que os deixam transtornados. A chegada deste velho modificará a vida destas cinco pessoas.





A primeira palavra que me vem à cabeça ao tentar definir o filme é "desperdício". A ideia da obra é genial - com ares de lenda, com um pé no realismo fantástico, narra a história da libertação dos personagens de seus medos, doenças e monstros interiores. O argumento é ótimo!!!! O problema é que o roteiro não conseguiu, nem de longe, desenvolver o potencial fabuloso do argumento. Por vezes confuso demais, com excesso de informação em alguns momentos e carente de detalhes em outros, com cenas dispensáveis misturadas com outras imprescindíveis e muito bem orquestradas, o filme acabou desperdiçando boa parte de seu potencial. Para entristecer mais, a fotografia do filme é excepcional, a direção de arte é primorosa, e tudo é auxiliado pelas maravilhosas paisagens da Chapada. O elenco, repleto de nomes pouco ou nada conhecidos, saiu-se muito bem, com destaque para o trabalho de Ramon Vane como "Pra Frente Brasil". Gostei, ainda, do linguajar típico, dos diálogos e de boa parte dos monólogos, apesar do som direto deixar um pouco a desejar. Enfim, tinha tudo para ser um filmaço, mas, por mau desenvolvimento do roteiro, ficou meio "marromenos". Conselho para o diretor (que também assina o roteiro): concentre-se na direção porque você é realmente bom nisso, mas esquece o lance do roteiro. Gostei com a ressalva já mencionada.

0 visualização0 comentário