• hikafigueiredo

"O Homem que não Vendeu sua Alma", de Fred Zinnemann, 1966

Filme do dia (68/2015) - "O Homem que não Vendeu sua Alma", de Fred Zinnemann, 1966 - No século XVI, o Rei Henrique VIII (Robert Shaw) busca a anulação de seu casamento com Catarina para se casar com Ana Bolena. Sir Thomas More (Paul Scofield), chanceler inglês, opõe-se à medida por ofender sua crenças religiosas, dando início à disputas políticas no país e trazendo consequências drásticas para Thomas More.





Drama de época, centrado nas questões políticas e religiosas relacionadas, este filme ganhou seis Oscares, dentre os quais Melhor Diretor, Melhor Filme e Melhor Ator, para Paul Scofield. O filme se desenvolve bem, apoiando-se em diálogos longos e jogos de raciocínio entre o personagem More e seus opositores, mas há que se gostar de filmes com temática política. O personagem de More é bem construído e a atuação de Scofield, ótima, dá credibilidade à personalidade obstinada, moral e extremamente religiosa do personagem. A ambientação de época, exemplar, ressalta a ótima direção de arte. A montagem, lenta, segue o ritmo dos longos e intrincados diálogos. É um bom filme, cujo destaque fica por conta das atuações, mas achei um pouco datado.

0 visualização0 comentário