• hikafigueiredo

"Sonho de Morte", de Bob Clark, 1974

Filme do dia (80/2021) - "Sonho de Morte", de Bob Clark, 1974 - EUA, 1972. Andy (Richard Backus) é um jovem soldado americano que é morto na Guerra do Vietnã, mas, inexplicavelmente, retorna para casa como um zumbi.





O filme, ótimo, é uma clara crítica à Guerra do Vietnã e faz alusão não apenas aos inúmeros jovens mortos naquele combate, mas, também, traz uma metáfora acerca daqueles que retornaram para casa totalmente destruídos psicológica e emocionalmente, transformados em verdadeiros "mortos-vivos", incapazes deixar para trás os horrores da guerra. O tom geral da obra é bastante diferente do demais do gênero - Andy tem, num primeiro momento, uma aparência normal e sua decrepitude inicia apenas após algum tempo. As mudanças físicas começam lentamente e aceleram no final, quando, finalmente, Andy ganha a aparência de carne em decomposição. Até então, Andy convivia entre os vivos sem causar estranheza, exceto pelo seu comportamento muito diferente do seu habitual, o que seus familiares creditaram aos traumas de guerra (metáfora evidente desta questão). Ainda que Andy faça, ao longo da narrativa, algumas vítimas, ninguém herda sua condição de morto-vivo por isso, até porque Andy não morde nem devora ninguém na história. A narrativa é linear e o ritmo é lento no início, mas continuamente crescente. A atmosfera é de desalento e tensão. A maquiagem do filme é excelente, mesmo porque não há os exageros comuns ao gênero. As interpretações são okay, nada de especial, mas suficientes para o bom andamento da história. Dos intérpretes, destacaria o trabalho de John Marley como o confuso pai de Andy, o personagem que traz um pouco mais de complexidade, pois confronta seu amor pelo filho com suas atitudes desmedidas. Destaque absoluto para a cena final que, de certa forma, chega a partir o coração pela conduta do personagem Andy (sem spoilers). O tom político do filme, seu diferencial, transforma-o em uma das melhores obras do gênero. Gostei demais e recomendo MUITO!

14 visualizações0 comentário