top of page
  • hikafigueiredo

"Os Amantes Passageiros", de Pedro Almodóvar, 2013

Filme do dia (54/2021) - "Os Amantes Passageiros", de Pedro Almodóvar, 2013 - Um avião parte de Madri com destino à Cidade do México. Ainda no início da viagem, os pilotos constatam que o avião está com um problema no trem de pouso e precisa fazer um pouso de emergência sem certeza de sucesso. Enquanto espera pelo pior, um grupo de passageiros passa a aproveitar o que acredita ser os últimos minutos de suas vidas, fazendo confissões e libertando-se de seus preconceitos.





O diretor Pedro Almodóvar alcançou seu sucesso com comédias debochadas e amorais, sempre discorrendo sobre sexo, vícios e relações conturbadas. Depois, passou para dramas, muitas vezes pesados, mas ainda envolvendo os mesmos temas, agora tratados com maior seriedade. Aqui, o diretor retorna para o tom cômico, mas, diferente de outros filmes como "Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos" (1988), pesou a mão e errou o tom, exagerando nos diálogos picantes ao ponto de tornar tudo excessivamente jocoso. O argumento até é interessante: a bordo de um avião com problemas mecânicos e na incerteza de saírem vivos, passageiros e tripulação libertam-se de seus freios dando vazão aos seu desejos mais catárticos. No entanto, o desenvolvimento não acontece tão bem e a insistência nas mesmas piadas versando sobre sexo e homossexualidade acabam não tendo fôlego para se manter por 1h30 de duração, tornando o filme maçante e repetitivo. Ainda que o exagero sempre tenha sido marca das comédias do diretor, aqui ele perdeu o rumo e deixou para trás a crítica social que sempre lhe foi marcante - é uma comicidade um tanto quanto vazia e despropositada, apoiada num tema único. Em outras palavras, para mim é o pior filme de Almodóvar (e acredito que eu já tenha visto toda a filmografia dele). Diferente de outros filmes dele, aqui a direção de arte é bem mais discreta, sem tantas cores vibrantes e saturadas e longe do "kitsch", muito presente em outras obras. As interpretações continuam exageradas, bem ao gosto do diretor, com destaque para Javier Cámara como Joserra - Antonio Banderas e Penélope Cruz fazem uma ponta sem qualquer razão de ser. Por gostar de Almodóvar, é com dor no coração que digo que o filme é ... ruim... não tenho outro termo, desculpe. Não recomendo não.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page