• hikafigueiredo

"Pantera Negra", de Ryan Coogler, 2018

Filme do dia (79/2018) - "Pantera Negra", de Ryan Coogler, 2018 - Em Wakanda, um obscuro país encravado na África, uma desenvolvida civilização esconde-se do resto do mundo. Após a morte do seu pai, rei de Wakanda, sobe ao trono o jovem T'Challa, o qual terá de lutar para manter a unidade de seu país, defendendo-o de um forte e terrível inimigo.





Nessa mais nova obra do Universo Marvel, temos a história do Pantera Negra, explicando-se a origem e trajetória do super-herói antes dele se juntar aos Vingadores. Como foi amplamente exposto em todos os lugares, o filme tem o grande mérito de promover a inclusão racial, já que, com duas únicas exceções, todos os personagens da história são negros, ressaltando, ainda, que os papeis abarcam todas as figuras heroicas da história - evidente quão importante isso é para a população negra que, finalmente, se vê representada, na tela, por personagens fortes e valorosos. À parte dessas questões atuais e relevantes, é fato que a obra é ótima como cinema de entretenimento e filme de ação. Tecnicamente perfeito, repleto de efeitos especiais de primeira linha, narrativa amarrada, ritmo ágil e elenco afinado, o filme entusiasma até quem não é tão afeito ao gênero. Curti muito a trilha sonora que utiliza instrumentos musicais típicos da África, com uma sonoridade diferentona e empolgante. Tenho um único porém à história, referente à construção do personagem Killmonger. Apesar do personagem ter sido criado para ser um grande vilão, possuindo, inclusive, certos traços de psicopatia, não consigo discordar de suas intenções - minha natureza contestadora e revolucionária considera absolutamente lícita a intenção de Killmonger derrubar os poderosos do poder e entregá-lo aos oprimidos, motivo pelo qual me incomodou que o personagem fosse retratado de maneira tão negativa (me soou como pura defesa do status quo vigente). Okay, ele podia ser menos violento mas, nos seus propósitos e considerando seu histórico, ele estava mais que coberto de razão. No que concerne ao elenco, ele não podia ser mais excepcional!!!! Chadwick Boseman está exemplar como Rei T'Challa/Pantera Negra e, inclusive, o personagem se redime de um erro familiar ao final (sem spoilers); a mulherada maravilhosa do filme - Lupita Nyong'o, Danai Gurira, Angela Basett, Florence Kasumba e Letitia Wright - mostra força, determinação, talento e beleza a rodo!!! Os "branquelos" Martin Freeman e Andy Serkis, nos papeis de agente da CIA e "segundo na escala de vilania", respectivamente, estão perfeitos (e eu adoro os dois) !!! Sem esquecer dos fantásticos Forest Whitaker e Daniel Kaluuya. Mas, boa parte da alma do filme está em Michael B. Jordan, como vilão-mór Killmonger - o cara manda bem demaaaaais, sou fã!!!! Então, o filme é fodástico e acerta muito a mão no que se propõe. Quem gosta de ação, precisa assisti-lo. PS - Vamos combinar que aquele povo da Marvel não quer que a gente torça pelos super-heróis, né???? Por que, olha só, vê a escalação do elenco dos vilões - Michael Fassbender ( <3 ) como Magneto, Michael B. Jordan ( <3) como Killmonger, Mads Mikkelsen ( <3 ) como Kaecillius e Tom Hiddleston ( <3 <3 <3 ) como Loki... sem contar a Cate Blanchet como Hela... ah, meu, vou torcer pelos bandidos, cara, só gente linda que eu amo... rs

1 visualização0 comentário