• hikafigueiredo

"A Ameaça que Veio do Espaço", de Jack Arnold, 1953

Filme do dia (107/2021) - "A Ameaça que Veio do Espaço", de Jack Arnold, 1953 - O astrônomo John Putnam (Richard Carlson) descobre que uma nave espacial caiu no meio do deserto do Arizona. Ainda que ele avise as autoridades locais, ninguém acredita nele. O desaparecimento de alguns moradores da cidade mais próxima fará com que o xerife Matt Warren (Charles Drake) comece a dar algum crédito às palavras do astrônomo.





Baseado em um conto de Ray Bradbury, o filme evoca o ancestral medo do desconhecido e a tendência humana em, primeiro, negar o que desconhece e, depois, reagir com violência àquilo que não compreende. O personagem John, como cientista que é, investiga o que acredita ser a queda de um meteoro no meio do deserto. Ao descer à cratera resultante do impacto do que vira ao solo, descobre que o suposto meteoro é, na verdade, uma nave espacial. Ele avisa o xerife acerca de sua descoberta, mas a única pessoa a acreditar nele é sua namorada Ellen. Inconformado, John parte atrás de respostas e de provas daquilo que alega, deparando-se que uma realidade assustadora. A narrativa é linear e o ritmo bem marcado. A atmosfera é de apreensão - o espectador, como o personagem John, receia o que virá adiante, o que não impede o astrônomo de continuar sua investigação. Apesar de, na época, o cinema não contar com grande tecnologia no que se refere aos efeitos visuais, as soluções encontradas pelo diretor foram bastante satisfatórias: de um lado, a opção em mostrar, preferencialmente, as reações dos humanos às criaturas espaciais ao invés das próprias criaturas criou uma tensão extra; de outro, as vezes em que o diretor teve de mostrar os entes, o fez sem se demorar demais na imagem, de maneira que gerou curiosidade no público sem que este tivesse muito tempo para perceber eventuais defeitos na produção daqueles seres. A fotografia é de um P&B suave, sem grandes contrastes e conta com alguns planos bastante originais, principalmente no que tange à visão em primeira pessoa das criaturas espaciais. O elenco é razoável - ninguém ali é excepcional, mas também ninguém faz feio. O filme, enfim, é consistente e tem uma produção que nem é assim tão "B", tão comum no gênero sci-fi, e que vai agradar à maior parte do público. Eu gostei e recomendo.

0 visualização0 comentário