• hikafigueiredo

"A Morte lhe Cai Bem", de Robert Zemeckis, 1992

Filme do dia (194/2021) - "A Morte lhe Cai Bem", de Robert Zemeckis, 1992 - A atriz Madeline (Meryl Streep) e a escritora Helen (Goldie Hawn) são duas ex-colegas de escola que disputam sucesso e namorados. Quando Madeline "rouba" o Dr. Menville (Bruce Willis), renomado cirurgião plástico e noivo de Helen, da amiga, a escritora jura vingança.





Essa ótima comédia fantástica discorre sobre a questão da supervalorização da juventude, da exigência social de que as mulheres se mantenham sempre jovens e belas, sobre o sonho da imortalidade e sobre a ausência de sororidade. As personagens Madeline e Helen disputam, desde a adolescência, popularidade e namorados. Com o passar do tempo, o embate entre ambas se acirra e, sob a falsa e hipócrita amizade, surge o desejo de vingança. Na maturidade, quando ambas percebem a chegada do tempo e das rugas que o acompanham, as duas mulheres entram em desespero, pois suas vidas eram baseadas, antes de tudo, em suas imagens, e a perda de viço torna-se um baque para suas autoestimas. Mas uma solução mágica aparecerá para mudar o destino das duas "amigas". O roteiro da obra é divertidíssimo e o fato de colocar em cheque a importância da imagem para as pessoas, em especial para as mulheres, o torna ainda crítico e criativo. A narrativa é linear, com várias elipses de tempo, mostrando o gradual envelhecimento dos personagens. O ritmo é ágil e crescente. Apesar do filme ter quase vinte anos, os efeitos especiais mantém-se bem razoáveis e são parte importante na trama (e responsáveis pelas melhores cenas da obra). O elenco é irretocável: Meryl Streep e Goldie Hawn, ambas com muito timing para a comédia, estão fantásticas como as fúteis, invejosas e falsas ex-colegas; Bruce Willis, outro que nasceu para os papeis cômicos, também está ótimo como o frustrado e infeliz Dr. Menville; mas quem rouba a cena, mesmo aparecendo em apenas duas situações, é a maravilhosa Isabella Rossellini como Lisle Von Rhoman, lindíssima do alto de seus quarenta anos na época. Destaque para a cena da briga entre Madeline e Helen (a melhor cena ever!!!) e para a cena da negativa do Dr. Menville (a expressão da personagem Lisle é impagável!!!). O filme é divertidíssimo e, como a personagem de Isabella Rossellini, não envelheceu nada. Para quem não viu (alguém ainda não viu?) é uma ótima pedida.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo