• hikafigueiredo

"A Sentinela dos Malditos", de Michael Winner, 1977

Filme do dia (162/2020) - "A Sentinela dos Malditos", de Michael Winner, 1977 - A modelo Alison Parker (Cristina Raines) aluga um apartamento por um preço extremamente convidativo. Passados alguns dias, ela começa a ter estranhas reações físicas, o que faz seu namorado Michael (Chris Sarandon) dar início a uma investigação relacionada àquele edifício.





Deixei esse filme por último porque já o conhecia do finado "Corujão" da Globo, muito embora não tenha certeza se cheguei a assisti-lo completamente naquela época. Certo é que me lembrava do desfecho e o tinha em boa conta. Após assisti-lo, mantive minhas impressões iniciais, confirmando tratar-se de um ótimo filme de terror, daqueles de deixar os cabelos arrepiados. Trata-se de um filme de terror psicológico, com uma ou outra cena de jumpscare, bem discretas. O roteiro é bem desenvolvido, sem absurdos ou furos e sem desfecho feito às pressas. Eu acho que é um filme que dialoga ligeiramente com a obra "O Bebê de Rosemary" (1968). Para meu deleite, é filme "de climão", aquela sensação de agonia que vai, pouco a pouco, sendo formada. O desfecho é super coerente e mantém a aura assustadora da história. Achei divertido observar a estética setentista do filme. Achei ainda mais divertido observar o povo que foi coadjuvante ou figuração no filme e que, anos depois, tornariam-se conhecidos - Jeff Goldblum, Tom Berenger, Christopher Walken, Beverly D'Angelo - ou, ao contrário, gente que fizera sucesso no passado e que já não fazia mais tanto - Ava Gardner, John Carradine, José Ferrer e Burgess Meredith. Tecnicamente, filme padrão, sem nada de excepcional. Nos papéis principais, Chris Sarandon, canastrãozinho como sempre, e Cristina Raines, mais bonita que boa atriz, ainda que não chegue a fazer feio no filme. As figuras assustadoras ficaram por conta de Burgess Meredith como Charles Chazen e John Caradine, velhinho e com evidente artrite nas mãos, como Padre Halliran. Destaque para a cena clímax do filme e sua figuração impressionante (e desconfio que real, a exemplo do filme "Monstros", de 1932, informação que não consegui confirmar em lugar algum). Ótima pedida e, na minha opinião, o melhor filme do box Obras-Primas do Terror 10, da Versátil. Recomendo muito.

0 visualização0 comentário