• hikafigueiredo

"A Todo Volume", de Davis Guggenheim, 2008

Filme do dia (312/2021) - "A Todo Volume", de Davis Guggenheim, 2008 - Os guitarristas Jimmy Page, "The Edge" e Jack White se encontram para contar suas trajetórias, sua relação com a guitarra, suas influências e, juntos, fazer música.





Apesar de não desgostar, eu raramente assisto a documentários. Documentários sobre música são ainda mais incomuns na minha filmoteca e escrever sobre eles, então, acho que nunca aconteceu. Mas vou abrir exceção para este caso, pela singularidade da obra. O documentário reúne três guitarristas para discutir assuntos variados ligados à música. Não três guitarristas aleatórios, mas três ícones, cada qual de sua geração: Jimmy Page, do "único" Led Zeppelin; "The Edge", do U2; e Jack White, de Whitestripes e The Raconteurs. Cada um deles, com caminhos, histórias, influências, visões e estilos extremamente particulares. Assim temos a calma de quem se sabe eternizado na história da música, com um estilo sofisticado, uma guitarra muito "trabalhada", influências do blues e uma história mais convencional na figura de Jimmy Page; a necessidade de expressão, o prazer de explorar a tecnologia, um estilo mais rebuscado e influência do punk e de ideais políticos de "The Edge"; e a crueza, uma busca pelo primitivo, a inovação e a raiva, fortemente influenciado tanto pelo blues, quanto pelo punk e a ânsia de se aproximar de um certo ideal de música de Jack White. O resultado é um documentário gostoso, ultra agradável de se ver, repleto de música de qualidade (claro, né, tem um monte de Led Zeppelin... >>>>> "extremely fan detected" rs) e que dá uma pincelada na história de cada um dos músicos retratados. Eu não manjo nada de música, mas, do alto da minha ignorância, gostei demais de acompanhar o grande bate-papo dos três guitarristas. Ao longo dos 98 minutos de documentário, temos a preparação para o grande encontro, as expectativas, o encontro em si, muito material de arquivo e a clara paixão pela música que os três têm, evidenciado pelos momentos em que tocam juntos (e que encontra eco em todos apaixonados por "x" coisa que se juntam, sejam surfistas, escaladores ou músicos). Filme delicinha mesmo para o espectador mais leigo, melhor se gostar demais de um (ou mais de um) dos entrevistados. Recomendo com carinho.

0 visualização0 comentário