• hikafigueiredo

"Akira", de Katsuhiro Otomo, 1988

Filme do dia (415/2020) - "Akira", de Katsuhiro Otomo, 1988 - Japão, 2019. Na recente metrópole de Neo-Tokyo, construída após a destruição da capital japonesa durante a Terceira Guerra Mundial, iniciada em 1988, uma gangue de motoqueiros, liderada por Kaneda, disputa espaço e poder com gangues rivais. O eventual encontro de Tetsuo - melhor amigo de Kaneda e integrante de sua gangue - com um estranho menino irá desencadear eventos potencialmente perigosos, não só para Tetsuo e Kaneda, mas para toda a humanidade.





O anime - baseado no mangá de mesmo nome, de autoria do próprio Katsuhiro Otomo - é um legítimo exemplo de ficção científica de estilo cyberpunk, onde a a alta tecnologia traz, a reboque, uma diminuição profunda da qualidade de vida e, consequentemente, certa predisposição à contracultura, resistência e confronto. Nesta animação, seguindo a lógica do estilo, temos uma realidade baseada em um governo militarizado e corrupto, alta evolução da ciência e da tecnologia - muito embora ambas estejam completamente descoladas da ética e de uma preocupação com a melhoria da sociedade - e um visível esfacelamento social, inclusive com o estabelecimento de uma oposição armada. A juventude, sem perspectivas, mostra-se alienada e niilista, focada exclusivamente em si e com forte tendência ao hedonismo, ainda que o prazer advenha de atitudes violentas e destruição. Há uma forte crítica aqui ao uso antiético e desumanizante da ciência, bem como ao uso indevido e descontrolado de qualquer poder. Ainda que tenha todo esse fundo crítico, o anime envereda pelo terreno da ficção científica e fantasia, e mostra-se bastante "mindfuck" - inclusive demora um pouco para o espectador conseguir se situar na narrativa. O traço do desenho segue a linha habitual do anime, mas é impressionante o grau de detalhe que alcança (assisti à obra a primeira vez no cinema e fiquei extremamente impressionada com o efeito de "reflexo das luzes dos faróis das motocicletas na lente de câmera" - bizarríssimo e muito bem feito). O filme é considerado a obra prima do diretor Otomo e um marco no cinema de animação japonês e mundial. Eu, pessoalmente, considero "Akira" a melhor animação adulta já feita, junto com o excepcional "A Viagem de Chihiro" (2001), ambas maravilhosas. Para quem gosta de anime, é obrigatório. Para quem gosta de cinema, também.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo