• hikafigueiredo

"Elite de Assassinos", de Sam Peckinpah, 1975

Filme do dia (146/2020) - "Elite de Assassinos", de Sam Peckinpah, 1975 - Mike (James Caan) e Hansen (Robert Duvall) trabalham juntos em uma agência de assassinos mercenários. Durante um trabalho da agência, Hansen trai a equipe, mata quem deveria proteger e atira em Mike, destruindo seu joelho. A despeito de todas as previsões médicas que diziam que Mike jamais voltaria a andar, ele consegue se recuperar. A possibilidade de se vingar de Hansen virá na forma de um novo trabalho para a antiga agência.





No último filme do box sobre Sam Peckinpah, temos uma história sobre espionagem, traição e vingança, tudo, evidentemente, acompanhado de muita ação e porradaria. Mais uma vez temos uma obra-testosterona, mas aqui, ao menos, temos um roteiro um pouco mais intrincado, com algumas idas e vindas e um quase plot-twist. Mais uma vez, não temos personagens femininos importantes e fortes, as mulheres simplesmente não existem na obra do diretor. A narrativa desenvolve-se bem dentro das suas limitações - é óbvio que não rola qualquer profundidade, interpretação ou mesmo uma reles divagação acerca dos fatos, é ação pura e simples. O ritmo é bem acelerado e crescente e, mais do que em outros filmes, senti a atmosfera de tensão, em especial nas cenas do prédio e na do píer. Sou só eu ou a ideia de contrapor armas de fogo e ninjas soa desleal para mais alguém? Tecnicamente tudo padrão Hollywood anos 70. O jazzinho acompanhando uma cena de tensão me pareceu equivocado e me irritou profundamente - Peckinpah não tinha uma percepção muito boa de trilha sonora, na minha opinião. No elenco, dois atores que eu curto: Robert Duvall e James Caan, o segundo muito mais tempo em cena que o primeiro, ambos bem adaptados a seus personagens. O filme é bem "tiro, porrada e bomba" e, apensar de não fazer o meu gosto, transcorreu sem me causar sofrimento, talvez em parte pelos atores em cena. Terminando o box, posso afirmar com bastante propriedade - não gosto do estilo do diretor, continuo não curtindo filme de ação e, provavelmente, vou demorar muuuuuito tempo para assistir mais alguma coisa de Sam Peckinpah. Para quem gosta do gênero, talvez seja uma boa pedida. Como eu não gosto, não serve para mim.

2 visualizações0 comentário