• hikafigueiredo

"Gonjiam: Hospital Maldito", de Jung Bum-shik, 2018

Filme do dia (339/2021) - "Gonjiam: Hospital Maldito", de Jung Bum-shik, 2018 - Um grupo de jovens responsáveis por uma canal do Youtube dedicado a histórias de terror viaja para um antigo hospital considerado mal-assombrado e decide fazer uma transmissão ao vivo do local. Mas talvez as coisas não saiam como planejado.





No velho estilo found footage - quando um filme simula uma filmagem em primeira pessoa -, a obra aproveita a mania dos jovens por "lives" no Youtube para desenvolver a história. Ainda que tenha uma ótima atmosfera de tensão - muito pela ambientação do hospital, que seria impressionante mesmo à luz do dia -, o filme sapateia no "mais do mesmo" das obras do gênero. Apostando em cenas de jumpscare - de onde, possivelmente, venha certa má vontade minha, já que gosto mesmo é de terror psicológico -, a obra vai pelo mesmíssimo caminho por onde passaram "A Bruxa de Blair" (1999), "REC"(2007), "Atividade Paranormal" (2007) e "Cloverfield" (2008), só para ficar nos mais famosos e que deram origem a sequências, por vezes péssimas. Assim, começamos com o clima descontraído do grupo de jovens, animados, divertindo-se e preparando a futura transmissão, para, na sequência, adentramos ao hospital mal-assombrado, dando espaço para a tensão crescente até explodir em acontecimentos inexplicáveis e apavorantes. A narrativa é, óbvio, linear, em ritmo ágil e crescente até ficar descontrolado, na mesma "vibe" de desespero dos personagens. Como era de se esperar, a obra tem alguns efeitos especiais, bastante bons na minha opinião, embora pouco originais (olhos que ficam totalmente pretos, rostos distorcidos, o pacote que normalmente vem com os atuais filmes de terror). Tecnicamente, simula-se uma transmissão ao vivo e, portanto, com todos os "defeitinhos" do tipo - câmera que treme, iluminação insuficiente, som com ruído, enfim, tudo o que já se era esperado. Como já mencionei, a ambientação é dez, o local foi imaginado e produzido para ser realmente arrepiante - ponto para a direção de arte. O elenco usa os nomes dos próprios atores e é composto por Wi Ha-joon, Park Ji-hyun, Moon Ye-won, Lee Seung-wook, Oh Ah-yeon, Yoo Je-yoon e Park Sung-hoon - todos aprimorando suas caretas de pânico e gritos guturais, como de costume. Sinceridade... o filme não é ruim, ele dá alguns bons sustos e teve um super efeito na minha filha que assistiu a ele antes de mim e que insistiu para que eu também visse, mas ele peca pela pouca criatividade. Nesse sentido, prefiro os ótimos "Buscando" (2018) e "Host" (2020) - já me falaram de um chamado "Amizade Desfeita" (2014), mas esse eu ainda não vi, não saberia dizer se é realmente bom. De qualquer forma, para quem gosta de found footage, é uma boa opção.

5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo