• hikafigueiredo

"Instinto Materno", de Calin Peter Netzer, 2013

Filme do dia (159/2016) - "Instinto Materno", de Calin Peter Netzer, 2013 - Cornelia (Luminita Gheorghiu) é uma mãe possessiva, ciumenta e controladora. Seu filho Barbu (Bogdan Dumitrache), já adulto, faz de tudo para se afastar de Cornelia, tratando-a com desprezo e absoluto desrespeito. Uma noite, Barbu envolve-se em um acidente, ocasião em que Cornelia toma as rédeas e começa um complexo jogo para livrar o filho da prisão.





Nesse filme romeno temos um retrato de uma família disfuncional e cheia de ressentimentos - mãe e filho desrespeitam-se mutuamente, ela através de imposições e julgamentos, ele, por ofensas diretas. Quando ocorre o acidente, no entanto, o instinto materno de Cornelia aflora e ela demonstra não ter qualquer escrúpulo ou pudor em fazer qualquer coisa para defender a prole - de chantagem emocional a tráfico de influência até corrupção direta. O clima geral é tenso, com uma câmera na mão que passeia livre pelos personagens. A fotografia é escura, assim como as cores dos ambientes, dando um ar pesado e austero a tudo e a todos. Mas, o maior mérito do filme, é, indubitavelmente, a atuação forte e visceral de Luminita Gheorghiu que empresta complexidade e realismo à personagem Cornelia - ela tem boas intenções para com o filho, mas isso não a faz menos inescrupulosa e manipuladora perante o resto da sociedade. O filme ganhou o Urso de Ouro de Berlim daquele ano. Recomendo para quem curte dramas familiares.

0 visualização0 comentário