• hikafigueiredo

"Invasores", de Adam Schindler, 2015

Filme do dia (372/2021) - "Invasores", de Adam Schindler, 2015 - Após a morte de seu irmão Conrad (Timothy T. McKinney), Anna (Beth Riesgraf) se vê sozinha na enorme casa da família. Quando três homens invadem a casa, Anna precisa lutar com as armas que tem por sua sobrevivência.





Aaaaaai... que lixo de filme, que roteiro forçado, my Lord! Numa mistura pouco convincente de "Esqueceram de Mim" com um filme de serial killer, a obra foca na personagem Anna, uma jovem com um passado sombrio e que carrega traumas familiares que a levaram a desenvolver agorafobia (fobia de locais abertos). Tímida e retraída, Anna encontra-se encerrada em sua residência há mais de dez anos e a simples menção de sair de seu "casulo" a apavora. Quando homens invadem o imóvel, ela se desespera ante a possibilidade de ter de sair da casa e reage com violência. Muito embora o argumento soe até interessante, o roteiro que se desenvolveu dessa ideia é completamente esdrúxulo e sem sentido. Por mais que aceitemos que, por desespero, Anna volte-se contra seus detratores - inclusive com selvageria - o que se segue é totalmente inverossímil, pois ultrapassa a personagem, vai além de sua pessoa e avança para uma verdadeira psicopatia. Sem adentrar em spoilers, existem soluções ali por demais fantasiosas e é necessário apelar muito para a criatividade e exercer muita condescendência para acreditar na proposta do roteiro. A narrativa é linear, em ritmo intenso. A atmosfera é de tensão e terror crescentes e é uma das poucas coisas positivas na obra, na minha opinião. Tecnicamente, é um filme padrão - bem feito, mas sem qualquer brilho ou inspiração especiais. O elenco traz Beth Riesgraf como Anna, numa interpretação correta, outro ponto positivo no filme; Martin Starr interpreta Perry, Jack Kesy interpreta J.P. e Joshua Mikel interpreta Vance, os três invasores - éééééé, com personagens extremamente rasos, fica até difícil para os atores criar uma interpretação de destaque, então nem dá muito para culpá-los pelo trabalho meio chulé; Rory Culkin interpreta Dan, um suposto amigo de Anna (não deixa de ser irônica a presença dele na obra, já que, para mim, a inspiração do filme é realmente "Esqueceram de Mim", filme mais famoso de seu irmão Macaulay). Enfim, um filme de horror fraco, esquecível e pouco convincente. Pouco consegui me conectar com a obra e, quanto mais a história avançava, mais eu me afastava dessa almejada conexão. Gostei tão pouco que a mídia física vai diretamente para o saldão. Não curti e não recomendo - quer ver filme bacana nessa linha, vejam "O Massacre da Serra Elétrica" (1974), ou mesmo sua refilmagem, ainda pelo mesmo diretor Tobe Hooper, de 1986.

2 visualizações0 comentário