• hikafigueiredo

"Lúcia e o Sexo", de Julio Medem, 2001

Filme do dia (185/2017) - "Lúcia e o Sexo", de Julio Medem, 2001 - Lúcia (Paz Vega) é uma impulsiva jovem que mantém um relacionamento conflituoso com o escritor Lorenzo (Tristán Ulloa), o qual guarda dramas secretos em seu passado. Após uma discussão, Lorenzo desaparece e Lúcia, disposta a fugir de suas dores, parte para uma significativa ilha para a história de seu amante.





Ô fase de filmes estranhos que eu estou vivendo!!!! Esta é mais uma obra esquisitinha, apesar de simpática e instigante. O nome sugere quase um pornô, mas, apesar de várias cenas de sexo "caliente" - algumas, inclusive, completamente desnecessárias - o filme transita pelos gêneros drama e romance. A história orbita por dois triângulos amorosos/sexuais que, de uma forma meio bizarra, se intersectam, formando novos pares - olha, é até difícil explicar.... rsrsrs... A narrativa alterna diferentes tempos e demora um tempinho para o espectador entender e encaixar numa cronologia os diversos momentos. Aliás, meio que só na última meia hora eu consegui identificar todos os agentes e relações que surgem ao longo do filme... mas, apesar de um pouco confuso, ao final tudo se encaixa e faz sentido, construindo uma obra tocante e bastante triste. Um aspecto negativo do filme, foi a fotografia - não são todas as cenas, claro, mas a grande maioria das cenas externas da ilha têm uma fotografia mega "estourada", com um branco "Omo total radiante" e com cores "lavadas", parecia que o negativo usado estava estragado, sério, não parecia ser proposital porque ficou bem feio. Em contrapartida, gostei bastante das interpretações de Paz Vega (que tem um quê de Winona Rider), Tristan Ulloa e Najwa Nimri, no papel de Elena. No frigir dos ovos, apesar de alguns poréns, o filme me agradou, achei que o diretor conseguiu dar forma à narrativa que, no princípio, era uma zona sem fim. Recomendado com algumas ressalvas.

0 visualização0 comentário