• hikafigueiredo

"Lavoura Arcaica", de Luiz Fernando Carvalho, 2001

Filme do dia (130/2015) - "Lavoura Arcaica", de Luiz Fernando Carvalho, 2001 - Nascido em uma família agrária e patriarcal, André (Selton Mello) foge de casa. Seu irmão Pedro, o primogênito, sai à sua procura, encontrando-o em uma pensão, oportunidade em que tenta convencê-lo a retornar ao lar. Mas André tem motivos para temer um retorno.





Obra de arte nacional, este filme é simplesmente perfeito!!!! Poético, denso, profundo. Trata, com extrema delicadeza, de temas difíceis, complexos, tabus universais, assuntos que não se conversam em voz alta. O tempo é não linear e passeia por momentos distintos, displicentemente, de acordo com as memórias de André, que expõe, às vezes aos sussurros, como num confessionário, às vezes aos gritos, num fervor quase religioso, os motivos de seu afastamento. A história de André vai, aos poucos, sendo construída, como numa colcha de retalhos, unindo os vários fragmentos de suas lembranças. É poesia pura. André não é um personagem fácil e Selton Mello o interpreta de forma transtornada, sofrida, visceral. Na realidade, nunca tinha visto o ator fazer um personagem tão dramático e complexo como este antes. Aliás, a direção de atores do filme é excepcional - todos os intérpretes estão magníficos, com destaque para Raul Cortez como o pai e Juliana Carneiro da Cunha como mãe. Simone Spoladore também encarnou a personagem Ana com primazia - a expressão corporal e facial dela dispensa qualquer fala. Do ponto de vista técnico, o filme não deixa por menos - fotografia, direção de arte, montagem, trilha sonora, é tudo espetacular e dão forma a um filme único. Ah, poderia discorrer horas sobre o filme, mas vou acabar soltando spoiler, o que é absolutamente "contra a minha religião". Só posso dizer - vejam, é muito, muito, bom.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo