top of page
  • hikafigueiredo

"Na Natureza Selvagem", de Sean Penn, 2007

Filme do dia (122/2017) - "Na Natureza Selvagem", de Sean Penn, 2007 - EUA, 1990 - Após formar-se na faculdade, o jovem Christopher McCandless (Emile Hirsch) abandona sua existência confortável e envolta por bens materiais e sai em busca da liberdade e do verdadeiro sentido da vida.





Baseado no livro homônimo de Jon Krakauer, o filme narra a história real do jovem que se despoja dos seus bens, confortos e família e sai em uma jornada de autoconhecimento e aproximação das coisas mais elementares da vida. No seu caminho, o rapaz encontra amizades e afetos verdadeiros, destituídos de interesses, formalidades ou convenções. A história é linda, tocante, inspiradora... e triste. Apesar de Christopher ter se aproximado do essencial, ter abraçado a vida com intensidade, ter alcançado um patamar de liberdade e desapego e, talvez, até mesmo galgado alguns degraus na elevação espiritual, é certo que o desfecho não foi nada romântico - o que atira o espectador diretamente para a noção de fragilidade, finitude e inconstância da nossa existência (algo nada agradável). Mas, apesar da angústia final, a obra instiga a pensar fora da caixa, a buscar alternativas para a neurose, o cárcere, a infelicidade que se vive na sociedade "padrão". Junto com as obras "Hair", "Livre", "Capitão Fantástico" e "Vida Selvagem", é um filme que questiona sociedade, convenções, "establishment" e, claro, o capitalismo. A obra é extremamente bem realizada, dirigida com sensibilidade pelo talentoso Sean Penn. A história alterna diferentes momentos da jornada do personagem e é pontuada por uma narração em "off" da irmã de Christopher, a qual oferece contornos lógicos às escolhas do irmão. O filme tem uma fotografia maravilhosa - o que não é surpreendente, se considerarmos os lugares por onde ele passou: desertos, corredeiras, florestas, etc. A trilha sonora, de autoria de Eddie Vedder (vocalista do Pearl Jam), é excepcionalmente boa e merece ser conhecida independentemente do filme. O elenco é todo excelente - Emile Hirsch faz um Chistopher (ou Alexander Supertramp, seu novo nome) adorável em seu desprendimento e idealismo, ele é apaixonante; Catherine Keener e Brian Dierker fazem um casal de hippies coroas, gente boa, daqueles que a gente quer ter de vizinho; Hal Holbrook interpreta Ron, um idoso fechado em seu mundo e acomodado que é "chacoalhado" por Christopher, um personagem muito tocante; Vince Vaughn, faz Wayne, para variar aquele camarada simpático e metido em encrenca, ele foi feito para o papel; William Hurt e Marcia Gay Harden interpretam os pais de Christopher, completamente inseridos e confortáveis na sociedade capitalista; e Kristen Stewart faz uma ponta como adolescente hippie. O filme é apaixonante e deve ser visto - visita obrigatória!!!! Recomendadíssimo!!!!

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page