• hikafigueiredo

"O Farol", de Mariya Saakyan, 2006

Filme do dia (184) - "O Farol", de Mariya Saakyan, 2006 - Lena (Anna Kapaleva) é uma jovem que mora em Moscou e que retorna à sua vila na região da Armênia. No entanto, ao chegar ao local é surpreendida pela guerra iminente e, ao tentar se evadir do lugar com seus avós, descobre que não existem mais trens que passem por ali.





Pensa num filme estranho...pensou nessa obra aqui. Este é um filme de guerra sem guerra, pelo menos no sentido estrito do termo. Existe, aqui, uma ansiedade, uma agonia pelo encarceramento, pela impossibilidade da partida, pelo esvaziamento das relações na vila quase abandonada... mas, praticamente, não tem cenas da guerra, não há batalha... ai, é uma obra bem esquisita! Acho que o cerne do filme está justamente neste esvaziamento - desde do povoado até dos significados (da casa da família, da região de nascença, dos contatos sociais - tudo, de certa forma, se esfacela). O ritmo do filme é mais que lento - é truncado, é quebrado, é desigual - fácil, fácil desagradar gente demais. Se tem algo que sobressai muito na obra é a fotografia - bela, belíssima - assim como a escolha dos planos abertos, mostrando a linda paisagem sob uma neblina densa e leitosa. Dá quase para ver o filme só para babar na estética da imagem!!!! E falando em beleza, o que é a Anna Kapaleva???? Longe de ser uma beleza clássica, sua ruivice e rosto cheio de sardas são impressionantemente sedutores (em especial na cena em que ela dorme no trem) - no entanto, não achei sua interpretação tão destacada quanto sua beleza (mas talvez o filme não exija tanto pela sua própria estranheza). Não é um filme que dê para recomendar para todo mundo, muita gente vai achá-lo arrastado e chato... assim, só aconselho para quem aquenta filme bem sem ritmo e tem algum interesse particular no tema... (eu também achei arrastado, tá? rs).

2 visualizações0 comentário