• hikafigueiredo

"O Homem Duplicado", de Denis Villeneuve, 2013

Filme do dia (150/2017) - "O Homem Duplicado", de Denis Villeneuve, 2013 - Adam (Jake Gyllenhaal) é um professor de história que vive uma existência monótona e repetitiva. Mantém um relacionamento frio e automático com sua namorada Mary (Mélanie Laurent). Um dia, ao assistir um filme, Adam descobre, dentre os figurantes, um ator que é seu sósia exato. Obcecado por seu duplo, passa a buscar informações acerca daquele homem.





Baseado em uma obra de José Saramago, o filme é, no mínimo, enigmático. Misturando uma narrativa linear com elementos do realismo fantástico e abusando do clima de incômodo e estranhamento, o diretor consegue construir uma obra interessante, mas aberta a inúmeras e diferentes interpretações. Não é um filme fácil, tem um quê de David Lynch, uma atmosfera onírica, reforçada pela fotografia amarelada e esmaecida e, ainda, pelas locações repletas de edifícios altos, modernos e imponentes, mas desprovidos de pessoas e vida, quase como um pesadelo. A discussão acerca da identidade, aqui, confrontada com a ideia de um duplo fisicamente idêntico - não obstante as diferenças psicológicas fiquem óbvias até pelas diferentes linguagens corporais de Adam e de seu sósia Anthony - não é fechada, não almeja uma conclusão, uma solução. Aliás, essa é a maior característica deste filme - ele é extremamente aberto: aberto a discussões, interpretações e conclusões. Jake Gyllenhaal está ótimo como Adam - tímido, inseguro, deslocado - e seu duplo oposto Anthony - seguro, agressivo, imponente (vale comentar como Jake curte um filme difícil, né???? Começando pelo eterno queridinho do povo "Donnie Darko"). Acho que é um filme que pode não agradar um público acostumado a filmes puramente realistas e mesmo quem, como eu, curte uma obra mais "viajandona", pode se sentir um pouco (ou muito !!!!) perdido ao longo da narrativa, principalmente quando das inserções de cenas de realismo fantástico, altamente interpretativas (não vou dizer que tudo ficou muito claro para mim.... naaaaada... vou ter de digerir o filme por uma eternidade). Ah, pessoal, vale a pena arriscar.... PS. Obra desaconselhada para quem tem aracnofobia. Sério.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo