• hikafigueiredo

"O Incidente", de Isaac Ezban, 2014

Filme do dia (385/2020) - "O Incidente", de Isaac Ezban, 2014 - Dois jovens e um investigador tentam, em vão, achar a saída das escadarias de um prédio, pois elas se repetem infinitamente; da mesma forma, uma família se presa a um trecho de estrada, sem conseguir dela sair.





Aaaaah, delícia de filme mindfuck para dar nó na nossa cabeça!!! Em um esquema tipo "Coherence" (2013), o filme brinca com a ideia de tempo e espaço, mundos paralelos, repetição de condutas, só para minar nossos neurônios - e faz isso extremamente bem, no caso. Os personagens - todos - ficam presos em um vórtex espacial, mas não temporal, pois o tempo continua a passar dentro daquele espaço restrito, algo beeeeeem maluco. A obra situa-se nos limites entre ficção científica, drama e terror, pesando a mão nesse último no que se refere às nossas emoções. A narrativa é não-linear, muito embora isso só se perceba mais para o final da história (começo, final, o tempo é relativo, não é mesmo???? rs). O ritmo é marcado e a atmosfera é profundamente perturbadora e angustiante, mas, também, supreendentemente instigante, a gente não consegue desviar o olhar e tem ânsia por mais, por saber o que virá a diante. Nem vou tentar explicar alguma coisa porque a questão ali é metafísica, muito mais do que meu parco conhecimento conseguiria acompanhar, então apenas me deixei levar na viagem e okay. Gostei bastante da alternância entre os dois arcos e as concepções opostas de espaço entre ambos - enquanto no arco da escada temos um ambiente completamente fechado, restrito, claustrofóbico, no arco da estrada temos o contrário, pois, ainda que a estrada se repita indefinidamente, o espaço é amplo, aberto, arejado, do tipo que faria alguém com agorafobia passar mal. A direção de arte foi bastante feliz quanto à forma de mostrar a passagem do tempo com a ajuda dos objetos que se acumulam, ao mesmo tempo em que expõe a degradação do ambiente e dos corpos. Gostei do elenco, com destaque para Raúl Méndez como Marco, Humberto Busto como Carlos, Fernando Alvarez Rebeil como Oliver e Nailea Norvind como Sandra. O menino Gabriel Santoyo também está muito bem como Daniel. Destaque para a cena final onde temos "o outro lado" (hahahahahas... nananinana, sem spoilers! kkkkkkk). Eu AMEI o filme, fiquei completamente arrebatada, ainda que seja incapaz de explicar racionalmente a parada toda! Recomendo demais!

3 visualizações0 comentário