• hikafigueiredo

"O Tesouro de Sierra Madre", de John Huston, 1948

Filme do dia (17/18) - "O Tesouro de Sierra Madre", de John Huston, 1948 - Década de 1920. Fred Dobbs (Humphrey Bogart) encontra-se desempregado e falido em uma pequena cidade do México. Ele faz amizade com outro "gringo", Bob Curtin (Tim Holt), e ambos, na companhia do velho garimpeiro Howard (Walter Huston), partem para uma jornada em busca de ouro pelas terras selvagens do país.





O filme, adaptado de um romance homônimo de B. Traven, retrata a transformação do homem quando tomado pela ganância e como algum dinheiro (e por que não dizer, também, poder) é suficiente para corromper uma pessoa inicialmente generosa e idônea. Na obra, o personagem Dobbs, um desempregado gente boa, começa a dar mostras de seu real caráter assim que tem contato com o primeiro ouro que, junto com seus dois companheiros, garimpa. O desenvolvimento de uma forte paranoia no personagem é bastante interessante e responsável por sua paulatina transformação. O roteiro é amarradíssimo e a direção de John Huston, sublime, tanto que lhe rendeu o Oscar e o Globo de Ouro de direção. Apesar do nome forte de Humphrey Bogart (por quem, admito, tenho forte antipatia) e pela importância do personagem Dobbs, quem se destaca é o ator Walter Huston, o qual ganhou Oscar e Globo de Ouro de ator coadjuvante por sua interpretação de Howard, o mais sensato e experiente dos garimpeiros. O desfecho é surpreendente e, porque não dizer, irônico. O filme é realmente um clássico, excelente - e olha que é um gênero de filme que geralmente não me agrada - e precisa ser visitado. Recomendadíssimo.

0 visualização0 comentário