• hikafigueiredo

"Obsessão Macabra", de Roger Corman, 1962

Filme do dia (120/2021) - "Obsessão Macabra", de Roger Corman, 1962 - Após acompanhar uma exumação onde o cadáver dava evidências de ter sido enterrado vivo, um velho terror de Guy Carrell (Ray Milland) vem à tona - o de ter catalepsia e ser dado como morto sem estar verdadeiramente morto. Obcecado pelo medo de ser enterrado vivo, ele começa a construir uma cripta com rotas de fuga, esquecendo-se de dar atenção à sua recém esposa Emily (Hazel Court), que se mostra desesperada face à obsessão do marido.





Baseado num conto de Edgar Allan Poe, o filme não trabalha com elementos sobrenaturais como de costume do autor, mas com o medo visceral, primordial, de uma pessoa, aquele temor que supera todos os demais, suplantando até mesmo o medo da morte. O personagem Guy leva consigo um trauma - ele crê, piamente, que seu pai fora enterrado vivo, pois, na infância, acreditou ter ouvido o choro de seu pai no interior de sua tumba. Ao presenciar a exumação onde o morto, efetivamente, fora enterrado ainda com vida, seu trauma retorna com força total e vira uma obsessão, de forma que tudo em sua vida fica em segundo plano, inclusive sua relação com Emily, sua esposa. De maneira macabra, Guy passa a construir uma cripta que possibilite dela escapar e, ao vê-la pronta, gasta seus dias em seu interior. A narrativa é linear, em um ritmo moderadamente lento, adequado ao suspense que se cria. Logicamente, considerando o autor, o clima é soturno, o que não impede o forte componente de suspense, uma vez que Guy dá mostras de estar sendo consumido por sua obsessão. O desenvolvimento da história é bastante interessante, mas a explicação final achei completamente dispensável. Para auxiliar no clima sombrio, fotografia e direção de arte colaboram para que as cenas sejam escuras - parece que não existe dia no filme rs. Ray Milland interpreta o atormentado personagem Guy, pesando um pouco a mão na sua interpretação. Hazel Court interpreta Emily, numa atuação um pouco mais sutil (não muito mais, só um pouco). No elenco, ainda, Heather Angel como Kate e Richard Ney como Miles. Na minha opinião, o filme traz um suspense interessante, apesar de preferir filmes mais voltados ao sobrenatural. Para quem gosta de terror gótico, é um prato cheio, pode ver sem medo.

0 visualização0 comentário