• hikafigueiredo

"Os Anarquistas", de Elie Wajeman, 2014

Filme do dia (05/18) - "Os Anarquistas", de Elie Wajeman, 2014 - Paris, 1899. O policial Jean (Tahar Rahim) é destacado para se infiltrar em um grupo de anarquistas. Sua missão torna-se mais complexa quando se aproxima e passa a se relacionar com Judith (Adéle Exarchopoulos), uma das integrantes do grupo.





O filme concentra-se menos nas questões políticas do que na conduta do delator Jean. Claro que a obra retrata parte das atividades revolucionárias do grupo, mas o fio condutor é a traição do falso companheiro, motivo pelo qual não é para esperar muita profundidade no tema político em si. O roteiro é bem construído e é hábil em fazer o espectador desenvolver profunda antipatia pelo personagem Jean (ou sou eu que sou simpatizante do grupo de anarquistas, sei lá...). O filme conta com uma bela fotografia e uma direção de arte de época bem caprichada. Tahar Rahim está perfeito como o odioso Jean (o ator é uma graça e ainda lembra um querido amigo meu, se eu consegui detestá-lo é porque ele está muito bem no papel! rs). Quanto a Adéle Exarchopoulos... ah, eu gostei muito dela em "Azul é a Cor Mais Quente", mas, assistindo a esse filme aqui, tive a impressão que ela não muda muito sua postura e sua expressão, parece que eu estou vendo a mesma personagem só que com roupa do começo do século - preciso ver outras interpretações dela para firmar uma opinião mais embasada. No elenco, ainda, Swann Arlaud como Elisée, Guillaume Gouix como Eugéne e Karim Leklou como Biscuit (todos simpáticos anarquistas). Bom, o filme é interessante, acho que é fácil gostar dele, mas não é nada de outro mundo, é meio morno. Para ver descompromissadamente.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo