• hikafigueiredo

"Ring - O Chamado", de Hideo Nakata, 1998

Filme do dia (99/2021) - "Ring - O Chamado", de Hideo Nakata, 1998 - Após ouvir falar de um vídeo que quem o assistisse morreria após uma semana, a repórter Reiko Asakawa (Nanako Matsushima) sai em busca de tal filme e o assiste. Ao perceber que estranhas coisas passam a acontecer, ela procura seu ex-marido Ryuji Takayama (Hiroyuki Sanada) para, juntos, descobrirem uma forma de evitar a maldição.




Assisti à refilmagem dessa obra no cinema, na época do lançamento e, como aconteceu com a refilmagem de Ju-On ("O Grito"), fiquei bastante impressionada. Como normalmente prefiro os originais aos remakes, saí em busca do "Ring" original. Infelizmente, tive a mesma reação que tive ao assistir "Ju-On" - talvez por ter sido impactada com a refilmagem, acabei preferindo-a ao original. E aqui, no caso, a personagem Sadako é bem menos assustadora que sua equivalente no remake, a icônica Samara. Não que o filme seja ruim, mas ele me pareceu bem mais suave do que a refilmagem, infinitamente mais sombria e pesada que este aqui. A narrativa é majoritariamente linear, com um ou dois flashbacks relacionados à personagem Sadako e sua mãe. O ritmo é vagaroso, mais do que o que estamos acostumados para filmes de terror. A atmosfera é levemente tensa - eu esperava mais tensão, porque na refilmagem eu fiquei crispada na cadeira do cinema. Os efeitos especiais também poderiam ser melhores, em especial na célebre cena de Sadako/Samara saindo da televisão. As interpretações foram a contento, sem grandes destaques. Na realidade, ficou certa frustração, pois eu realmente esperava que o original suplantasse a refilmagem, o que não aconteceu. Eu indicaria essa obra apenas para quem ainda não viu nada sobre a franquia e, ainda assim, com ressalvas.

Ver insights Alcance de 0 publicações

Curtir Comentar

0 visualização0 comentário