• hikafigueiredo

"Shortbus", de John Cameron Mitchell, 2006

Filme do dia (90/2017) - "Shortbus", de John Cameron Mitchell, 2006 - Numa Nova Iorque ainda chocada pelo acontecimento de 11 de setembro, diversos personagens escondem suas fragilidades, o que reflete em seus afetos e sua vida sexual: Sofia, uma terapeuta de casais, nunca chegou a um orgasmo e esconde isso do marido Rob; James vive, há cinco anos, um relacionamento estável com Jamie, mas esconde dele sua depressão e seus pensamentos suicidas; Severin é uma dominatrix que não consegue se relacionar verdadeiramente com ninguém. Todos buscarão aplacar seus anseios no clube Shortbus, uma casa noturna onde todos os fetiches e fantasias são permitidos.





Filme fofíssimo, quase uma comédia romântica, só que para maiores de 18 anos. Desde a primeira cena, a obra é repleta de sexo explícito hetero, gay, lésbico, menáge, BDSM, sexo grupal, toda a sorte de liberalidades sexuais - mas o foco, na realidade, são os afetos e relacionamentos amorosos dos personagens. O filme é uma graça, mas há que se despir de pudores e de eventuais preconceitos (como aqui não tem nenhum mesmo, para mim foi bem sussa) e embarcar na viagem (e na suruba). Destaque para a trilha sonora legal, que abre com um jazzinho e depois fica ali no indie rock. Bom, eu apaixonei pelo filme, mas, definitivamente, não é para assistir com a família no domingo, okay? E é expressamente proibido para crianças.

0 visualização0 comentário