• hikafigueiredo

"Snatch - Porcos e Diamantes", de Guy Ritchie, 2000

Filme do dia (253/2020) - "Snatch - Porcos e Diamantes", de Guy Ritchie, 2000 - Após assaltar uma joalheria em Antuérpia, Franky Quatro-Dedos (Benício del Toro) precisa entregar um diamante de 83 quilates para seu chefe em Nova York. No entanto, em Londres, afasta-se de seu destino para ir a uma casa de apostas de jogos clandestinos, dando início a uma corrida pela posse do diamante protagonizada por grupos de criminosos rivais.





Ufa!!!! Tome fôlego para ver esse filme e não se deixe piscar uma única vez enquanto estiver assistindo a ele. Isso porque a história é intrincada, o ritmo é esquizofrênico e as relações entre os personagens são tão mirabolantes que se você perder o fio da meada, nunca mais o encontra. A história é relativamente simples: quem vai ficar na posse de um diamante milionário. A questão é que cada núcleo da bandidagem tem dois ou três personagens que se unem a outros e estes pedem ajuda a outros e assim forma-se uma triangulação de personagens e ações que é fácil acabar se perdendo. Para complicar, o ritmo é extremamente acelerado e a narrativa é não-linear - ah, mas não é que existe uma alternância entre o tempo presente e o passado, apenas: é o caos!!!! O filme acompanha diferentes personagens em momento diferentes e vai e volta no tempo cronológico, num ritmo de videogame!!! A obra é do gênero ação (e põe ação nisso), mas tem uma pegada cômica bastante forte. O roteiro, apesar de propositalmente confuso, é amarradíssimo e, se você conseguir a concentração necessária, vai perceber que, ao final, tudo se encaixa. A fotografia é marcada por planos inusuais, posicionamentos de câmera sofisticados e, por vezes, esquisitíssimos e cores bastante saturadas. A montagem é o forte do filme e marca a velocidade da obra. A trilha sonora é bacana e bem variada e segue o ritmo intenso da obra. O elenco enorme é maravilhoso e todos estão ótimos. Benício del Toro está ótimo como Franky Quatro-Dedos e Jason Statham, por incrível que pareça (já que eu o acho um ator para lá de medíocre), casa perfeitamente com seu personagem Turkish. Adoro a cara de perdido de Stephen Graham, o bandido menos bandido da história. Gosto demais de Rade Serbedzija como Boris, o Punhal, e Vinnie Jones como Tony Dente-de-Bala. Mas quem ganha o filme e está impagável é Brad Pitt como o cigano Mickey - começa que ele tem o melhor "sotaque cigano" de todos os tempos e o que ele fala é indecifrável; além disso, ele está lindíssimo como boxeador amador... ai ai... Olha... o filme é divertido demais e é impossível não se envolver com a história complicada. Vale cada minuto de filme. Recomendo demais, assim como a obra anterior do diretor Guy Ritchie, "Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes" (1998), acerca do qual pretendo escrever em breve. Recomendo.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo